Mulher precisa dar à luz em coma induzido por causa da covid-19: “Fiquei apavorada”

Stephanie Curran contou ao portal The Mirror que ficou muito assustada ao saber que estava contaminada com coronavírus pouco tempo antes de dar à luz primeira filha

Resumo da Notícia

  • Uma mãe teve de dar à luz em coma induzido por causa de um diagnóstico de covid-19
  • Stephanie Curran é mãe de Millie, que nasceu prematura com apenas 1 kg por causa dessa situação
  • Ela deu detalhes do ocorrido ao portal The Mirror

Uma mãe teve de dar à luz sob um coma induzido por causa da covid-19. Stehpanie Curran estava há pouco tempo do nascimento da primeira filha, quando descobriu que estava diagnosticada com covid-19. Ela falou sobre o ocorrido ao portal The Mirror.

-Publicidade-

Stephanie é casada com um motorista de taxi – e, ao portal de notícias britânico, admitiu que pensou ter pego a doença dele, que transportou diversas pessoas para o centro de testes de covid de sua cidade. Foi no sexto mês da gravidez que teve uma piora no quadro de saúde por causa dos sintomas de coronavírus.

“Fiquei apavorada”, lembra ela. “Não consegui dormir no último dia do meu isolamento e continuei em pânico porque me sentia muito mal. Eu estava lutando para respirar e não conseguia nem andar até o banheiro. Os médicos me disseram que eu simplesmente tinha que sair de casa sozinha por causa da covid, mas o médico me examinou e chamou uma ambulância. Eu precisava de oxigênio naquele momento”.

Millie nasceu com apenas 1 kg
Millie nasceu com apenas 1 kg (Foto: Reprodução/ Arquivo Pessoal/ The Mirror)

Os especialistas ainda informaram a mãe sobre a necessidade do parto em coma, e Stephanie logo se preocupou ainda mais. “Em um ambiente hospitalar, você tem que se isolar por 15 dias após ter Covid, então levei quatro dias antes de eu ver Millie. Foi muito difícil, mas o pai dela veio vê-la, então fiquei feliz por ela ter vindo ao mundo e ter visto um de nós primeiro”.

Felizmente, mãe e filha se recuperaram – e Stephanie acredita que a filha deverá ir para casa em janeiro do ano que vem. “Foi uma época tão surreal e assustadora. Eu nem sabia se ia acordar, quase morri. Eu ainda não consigo entender o fato de que ela está aqui e eu sou uma mãe”.

Millie nasceu prematura com apenas 1 kg e sem covid-19. Os médico preveem que a bebê possa voltar para casa na data em que, inicialmente, estava prevista para nascer: 15 de janeiro de 2022.