Mais

Você chamaria de atividade lúdica desenhar em um cavalo?

Foi o que crianças fizeram em uma colônia de férias. Vem entender o caso

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

cavalo

(Foto: Arquivo Pessoal / Ana Paula Vasconcelos)

No Distrito Federal, um cavalo foi rabiscado por crianças que participavam de uma colônia de férias na Escola de Equitação da Sociedade Hípica de Brasilia. A foto do animal bombou na internet e deixou muita gente revoltada por causa dos maus tratos e a situação de estresse que ele foi exposto.

Segundo os responsáveis, a atividade com canetinhas tinha fins pedagógicos e era uma maneira de incentivar crianças a perder o medo dos animais de grande porte. Especialistas em educação infantil concordam que o contato com animais traz benefícios às crianças, mas existem maneiras de proporcionar essa interação sem prejudicar o animal.“Isso diminui de forma importante o estresse ou qualquer tipo de dificuldade que a criança tenha em lidar com outras pessoas, por exemplo”, explica a veterinária Renata Basile Medina, especializada em neurologia pela UNESP Botucatu.

A foto do cavalo foi divulgada pela advogada Ana Paula Vasconcelos, que  chegou até a Comissão de Defesa dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). “Depois da denúncia, fomos até o local e vimos o quanto o cavalo estava acuado e triste”, contou a advogada ao site UOL.

A notícia também foi parar no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), que esteve na Escola de Equitação da Hípica junto com o Instituto Brasília Ambiental (Ibram), neste domingo (22). Depois disso, fizeram uma notificação exigindo a “apresentação do programa pedagógico que justificou a iniciativa, além de laudo veterinário que ateste as condições de saúde dos animais usados no evento”. Vamos ficar de olho e esperar pelos resultados.

Leia também

Saiba como a terapia com cavalos mudou a vida de 2 meninas com paralisia cerebral

Demorou! Pré-estreia de “Quatro vidas de um cachorro” é cancelada após maus tratos

Cão ajuda pais a descobrirem maus tratos da babá ao filho de sete meses

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não