Família

Cris Dias sobre a relação com o filho e o namorado: “O amor e convívio superam qualquer dificuldade”

A jornalista contou à Pais&Filhos como explicou para Gabriel sobre a separação do ex-marido e muito mais


Rhaisa Trombini

Rhaisa Trombini ,Edileyne e Geraldo

Cris é jornalista esportiva (Foto: Divulgação)

Cris Dias é uma mulher 360º. Aos 38 anos, a jornalista esportiva já cobriu Pan-Americano, Copa América, duas Copas do Mundo e três Olimpíadas. Ufa! Além disso, ela tem um filho de 9 anos, Gabriel. Para Cris, no começo era complicado conciliar a carreira com o bebê, mas hoje ela consegue dar um jeito para combinar a rotina de mãe e filho da melhor forma.

Cris também contou para a gente como explicou a separação do marido, Thiago Rodrigues, para o filho, além do momento em que apresentou Gabriel ao novo namorado, Caio Paduan. Em entrevista exclusiva à Pais&Filhos, a jornalista também falou sobre a gravidez e as dificuldades que enfrentou durante a amamentação. Confira:

1. Algo mudou dentro de você quando descobriu que estava grávida? E quando ele nasceu, como você se sentiu?

A mulher sente fisicamente a mudança. Não num primeiro momento, apesar dos enjoos e sintomas, mas pra gente a ficha cai nesse momento. E a ansiedade e a felicidade tomam conta de você. É um momento sublime, uma dádiva que nós mulheres ganhamos, poder gerar um ser. Quando ele nasceu, me senti plena, cansada, feliz, preocupada. São tantas emoções.

Quando Gabriel nasceu, ela estava apresentando o Esporte Espetacular (Foto: arquivo pessoal)

2. Como foram os primeiros meses como mãe? Você teve alguma dificuldade, algo te fez sentir culpa?

Eu tive quatro meses de licença e morava em frente à TV. Tive um parto normal, pós-parto tranquilo, mas como não bebo muita água, não amamentei muito tempo. Me senti um pouco culpada por isso, tentei de todas as formas, mas o Gabriel acordava de hora em hora para mamar, era desesperador.

Uma noite dei uma mamadeira e ele dormiu 4 horas seguidas! Depois disso, a amamentação no peito paralela à mamadeira durou mais um mês e ele não quis mais o peito. Depois de um tempo me conscientizei que ele não é menos saudável por isso, tampouco me ama menos por isso. Além disso, tive parto normal, que eu queria muito. O Gabriel segue saudável e grudado em mim. Então, acho que tudo acaba se acomodando, indo para o seu lugar. Espantemos a culpa!

3. Por conta do trabalho, você viaja muito. Como concilia a vida profissional com a maternidade? E como lida com a saudade?

Quando Biel nasceu, eu apresentava o Esporte Espetacular. Viajava muito e era difícil, ele era pequenininho, mas eu morava em frente ao trabalho. Um ano depois, mudei para apresentação do Globo Esporte e aí pude viajar menos pra ficar mais com ele também. Hoje, faço o Bom Dia Brasil, de segunda a sexta, e dá pra ter uma “rotina normal”, que bata com a do meu filho.

Hoje, Cris trabalha no Bom Dia Brasil (Foto: Divulgação)

4. Quando você se separou do seu marido, como explicou para o seu filho?

Expliquei que a gente amava muito ele e agora eu e o pai dele nos amávamos como amigos, mas que nada mudaria. Ele era pequeno, mas entendeu. A linguagem do amor, o afeto e o convívio transcendem qualquer dificuldade.

5. Como mãe solteira, o que mudou no seu dia a dia com o Gabriel? Você tem uma rede de apoio que te ajuda?

Temos guarda compartilhada, então quando o pai está no Brasil revezamos de forma definida, mas claro, com jogo de cintura, pois temos trabalhos muitas vezes fora da rotina. Quando o pai reside em Portugal, ai é tudo comigo. Logística é comigo mesma, para sempre organizar a vida do meu filho e deixá-lo tranquilo para viver a infância e estudar feliz. Tenho uma rede de apoio, pois trabalho bastante, conto com uma funcionária. E volta e meia a família que é do Sul tá na área e ajuda muito!

6. Você já apresentou seu novo namorado (Caio Paduan) para o seu filho? Como ele reagiu? Como é a relação deles?

Já, ele reagiu super bem. Não foi imposto, o Caio foi conquistando ele. O Biel adora o Caio, o tem como amigo e conselheiro (excelente referência, diga-se de passagem). Amam jogar videogame juntos, se juntam pra me zoar nas viagens (risos).

Ela e o filho adoram esporte! (Foto: Divulgação)

7. Tem alguma coisa que seu filho faz que te emociona muito?

Ele é muito esperto e afetivo. Dia desses eu falei que amava muito ele (a gente adora ficar nessa), aí ele disse que me amava mais, eu disse que amava mais porque tinha feito ele e ele respondeu, me agarrando (ele adora dar abraços e beijos de felicidade (risos)) “eu te amo mais porque você me deu a vida”. Ele é sensível e espirituoso e me emociona o tempo todo com as suas tiradas.

8. Você acha que ele vai gostar de esportes igual a você?

Ele já ama. É louco por futebol e quer ser jogador. Adora a neve e curte esquiar. Não para quieto, já fez um monte de esporte e hoje em dia tá focado no futebol. Estou tentando levar pro kite também, quem sabe mais pra frente, né… Estou só esperando, sem pressa, nem pressão (risos).

Leia também:

Ivan Moré sobre seu papel como pai: “Passei a ser mais presente em todos os sentidos”

Mãe encontra filha pela primeira vez após 70 anos e o motivo é absurdo

Esporte não tem gênero: é a criança que decide o que ela quer