;
Bebês

Boneco com traqueostomia ajuda no tramamento de criança de dois anos em Porto Alegre

Que ideia! Vem ver todas as fotos

Jéssica Anjos

Jéssica Anjos ,filha de Adriana e Marcelo

(Foto: Reprodução / print do vídeo do jornal Zero Hora)

(Foto: Dorothy de dois anos / Reprodução / print do vídeo do jornal Zero Hora)

A ideia veio da fonoaudióloga Daniela Feijó, ela criou o projeto chamado “Um Amigo Como Eu” para ajudar no tratamento de crianças com sonda ou traqueostomia. Para isso ela faz uma pequena adaptação em bonecos colocando uma sonda ou traqueo para que o paciente se distraia e se identifique com o brinquedo.

“Ela pode brincar ativamente sobre coisas que sofre no seu corpo passivamente, e tudo o que é forma de atividade simbólica alivia o estresse“, explicou a fono ao jornal Zero Hora. Daniela comenta que as crianças não conseguem conversar com os pais sobre a preocupação por ter que trocar um curativo, por exemplo. “Em vez disso, sentem medo”.

De acordo com o Zero Hora, a especialista já adaptou cerca de 10 brinquedos, mas não fez nada sozinha. Pais de seus pacientes ajudaram em todo o processo. Para a Dorothy, que tem distrofia no tórax e precisou passar por duas cirurgias para aumentar a caixa torácica, o brinquedo que passou pelo processo de transformação foi Mort, o lêmure-rato do filme Madagascar. O boneco foi um presente do pai para a mãe da menina no começo do namoro. E hoje faz companhia para a menina na UTI do Hospital da Criança Santo Antônio, em Porto Alegre.

(Foto: Reprodução / print do vídeo do jornal Zero Hora)

(Foto: Reprodução / print do vídeo do jornal Zero Hora)

A fono não vende os brinquedos, mas ajuda a adaptá-los. Em seu blog, Um Amigos Como Eu, ela ensina como fazer a transformação. Se o seu filho precisa de um amigo assim, lá no blog tem o passo a passo e é mais fácil do que parece. Para conhecer é só clicar aqui. Daniela contou que o da Dorothy foi feito com uma válvula antiga, que seria descartada, mas uma tampinha de caixa de leite também serve! É só usar a criatividade. Veja outros exemplos:

(Foto: Reprodução / print do vídeo do jornal Zero Hora)

(Foto: Reprodução / print do vídeo do jornal Zero Hora)

(Foto: Reprodução / print do vídeo do jornal Zero Hora)

(Foto: Reprodução / print do vídeo do jornal Zero Hora)

(Foto: Reprodução / print do vídeo do jornal Zero Hora)

(Foto: Reprodução / print do vídeo do jornal Zero Hora)

(Foto: Reprodução / print do vídeo do jornal Zero Hora)

(Foto: Reprodução / print do vídeo do jornal Zero Hora)

“Desde o início, a ideia era que as pessoas pudessem fazer para os seus filhos, ou os terapeutas das crianças”, afirma a especialista. E isso não precisa ser feito só com crianças que usam sonda ou traqueostomia. Se o seu filho passar por algum procedimento cirúrgico, quebrar o braço e tiver que usar gesso, alguma boneca também pode acompanhar o processo. Já pensou nisso?

(Foto: Reprodução / print do vídeo do jornal Zero Hora)

(Foto: Reprodução / print do vídeo do jornal Zero Hora)

Leia também:

Conheça histórias de crianças que passaram por grandes superações

Vítima de bullying por causa da aparência, criança adota gato com a “mesma cara”!

Conheça 4 tipos de bullying e saiba como lidar em cada caso