Bebês

Não precisa ter aflição! Veja 6 respostas sobre cuidados com o umbigo do recém-nascido

Existem vários mitos sobre essa parte do corpo da criança

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: iStock)

(Foto: iStock)

Essa parte do corpo do recém-nascido traz muita aflição. Formado por resquícios do cordão umbilical, o umbigo lembra uma gelatina que vai ficando mais seca e escura a cada dia, até a hora de cair. Pode sangrar, mesmo estando tudo bem. Para a alegria de todos, a natureza funciona muito bem e as complicações clínicas relacionadas ao umbigo são raras. Por outro lado, os mitos e lendas são frequentes, deixando pais de primeira viagem preocupados sem necessidade. Para acabar com as dúvidas, conversamos com o Dr. Claudio, pediatra e pai de Fernando, Beatriz e Silvia.

Já ouvi dizer que meu umbigo é bonito porque minha avó cuidou bem dele. Mas conheço crianças que tiveram o mesmo cuidado e o umbigo ficou estufadinho. Quais cuidados devem ser tomados para isso não acontecer? – Vanessa Medeiros, mãe da Manu

Aparência estética final do umbigo não depende dos cuidados no período pós-parto. No caso da sua avó, foi sorte. Certamente, a higiene e a limpeza locais são importantes para que os tecidos não infectem. Mas os fatores próprios do bebê são os verdadeiros responsáveis por uma aparência final mais “bonita” ou “feia”. O excesso de pele e o aparecimento de hérnias umbilicais independem de algum cuidado específico.

O umbigo do meu filho demorou mais de 40 dias para cair e tivemos que usar medicamento. Até quanto tempo é considerado normal o umbigo cair e qual o momento de procurar por ajuda? – Kamila Castro, mãe de Benício e Joaquim.

Na maioria dos casos o umbigo “cai” entre uma e três semanas de vida. Mas não é incomum que caia por volta de um mês de idade. Já tive pacientes com queda por volta dos dois meses. Os pais devem ficar tranquilos e seguir a orientação do pediatra. Os medicamentos são desnecessários, geralmente não ajudam, e podem até causar danos.

Vejo muitas mães falando para colocar uma moeda no umbigo para ficar bonito. Isso é verdade? – Clarice Tenenbaummãe de Lucas, Marina e Alice.

Colocar uma moeda no umbigo para que fique bonito é uma das maiores lendas pediátricas. Brinco com os pais para que peçam moedas de ouro para os avós que deram esta ideia… E o mesmo vale para faixas e curativos, que não são utilizados há muitos anos.

Qual a diferença entre quem tem o umbigo para dentro e para fora? – Annie Baracat, mãe de Lilo. 

A diferença entre que tem o umbigo para dentro ou para fora é determinada pelas características da pele e da musculatura do seu filho. Não depende de algum erro ou acerto dos pais, ou do choro do bebê.

O umbigo da minha filha caiu antes da hora e tivemos que fazer cauterização. Isso é comum? – Mariana Barra, mãe da Ana Julia.

Cauterização não é comum em pediatria e não depende da época da queda. Em alguns casos o resquício do cordão umbilical é maior e por isto demora mais para ser absorvido. Este tecido é chamado de granuloma umbilical, e na maioria dos casos é absorvido pelo próprio organismo.

É verdade que o recém-nascido que chora muito tem mais chances de desenvolver hérnia umbilical? – Gabriela de Paula, mãe do Lourenzo.

Esta é mais umas das inúmeras lendas. A hérnia umbilical surge pela separação da musculatura abdominal e pela fraqueza de outras estruturas da parede abdominal da criança. Ou seja, independe de esforço ou dos cuidados dos pais. Pode surgir logo nos primeiros meses de vida ou até mais tarde, na vida adulta. Em alguns casos é necessária cirurgia corretiva, mas na maioria das vezes o fechamento é espontâneo e acontece até os dois anos de vida.

Leia também

É normal o bebê ficar vesgo às vezes? Descubra quando se trata de estrabismo

Quanto tempo meu filho precisa dormir? Veja tabela para cada fase

“Meu bebê nasceu de parto pélvico normal e deu tudo certo”

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não