Amigdalite: como saber se é bacteriana ou viral, sintomas e qual o tratamento correto

Causada por inflamações nas amigdalas, a amigdalite pode estar livre de infecções ou ter um microorganismo atuando por trás do problema, sendo caracterizada como bacteriana ou viral

Resumo da Notícia

  • A amigdalite é uma inflamação nas amigdalas e que pode ou não estar acompanhada de uma infecção
  • Nem sempre é simples diferenciar uma infecção viral da bacteriana, por isso sempre busque um especialista
  • A doença é mais comum em crianças, mas qualquer pessoa que ainda tenha as amigdalas pode sofrer com a inflamação

A amigdalite é uma inflamação nas tonsilas palativas, popularmente conhecidas como amigdalas, e que pode ou não estar acompanhada de uma infecção. Por vezes, o diagnóstico da doença como viral ou bacteriana pode ser muito difícil, então o recomendado é sempre buscar um otorrinolaringologista e não tomar medicamentos sem prescrição médica.

-Publicidade-

Qualquer pessoa que tenha as amigdalas está suscetível a sofrer com inflamações na região – sejam elas sem infecção ou com algum microorganismo atuando. O problema costuma ser mais comum em crianças e é muito importante tratar a amigdalite caso ela apareça para não haver a possibilidade de surgirem abcessos ou acontecer uma septicemia.

Tipos de inflamação que causam amigdalite

  • Inflamação sem infecção: surge por causa de irritações na região devido à mudanças de temperatura, consumo em excesso de alimentos gelados ou ácidos e refluxo ácido
  • Inflamação com infecção: causada por bactérias ou vírus e acontece após o contato com saliva ou secreções respiratórias contaminadas, ou pelo ar.
A amigdalite pode ser bacteriana ou viral e deve ser tratada com um especialista (Foto: Shutterstock)

Amigdalite bacteriana ou viral?

A amigdalite bacteriana é caracterizada por sintomas mais fortes e duradouros, além de presença de pus na garganta, e os microorganismos envolvidos no processo são bactérias do tipo estreptococo. Ela é tratada com o uso de antibióticos. Já a amigdalite viral tem os sintomas mais amenos, não apresenta pus, mas pode trazer sintomas como rouquidão, aftas ou inflamação na gengiva. Seu tratamento consiste em uso de analgésicos e anti-inflamatórios.

Sintomas de amigdalite

Como tratar amigdalite

As inflamações com infecções podem ser tratadas por meio de antibióticos (no caso da bacteriana) ou analgésicos e anti-inflamatórios (em casos virais). Também é recomendado que a pessoa com o problema se hidrate muito, dê preferência para alimentos mais pastosos – uma vez que a garganta está sensível para deglutir – e inclua comidas ricas em vitamina C. Antes de começar a tomar medicações, sempre busque um especialista para ter o diagnóstico correto e prescrição de qual remédio tomar.

É possível prevenir as inflamações na amigdala?

Quando falamos sobre amigdalite bacteriana ou viral, a prevenção do problema consiste em medidas de higiene: evitar o contato com secreções de outra pessoa contaminada. No caso de inflamações sem infecção, vale evitar ingerir bebidas muito geladas e proteger a região.

A amigdalite é causada por inflamações, infecciosas ou não, nas amigdalas (Foto: Freepik)

Quando a cirurgia de retirar as amigdalas é indicada

  • Em casos de repetição de inflamações bacterianas com pus
  • Quando houver abscesso peri-amigdaliano (tecido localizado ao redor da amigdala infeccionado)
  • Amigdalas tão grandes que provocam roncos e apneia do sono
  • Cáseos, ou caesum amigdaliano, acumuladas na garganta gerando desconforto, mau hálito e sendo expelidos
  • Caso haja algum tipo de tumor

Tratamento caseiro para amigdalite

Em casos de inflamação nas amigdalas, seja com ação de microorganismos ou não, o indicado é deixar os tratamentos caseiros de lado e buscar um especialista para fazer o melhor diagnóstico e indicar a maneira correta de cuidar do problema. Isso porque existe a possibilidade da inflamação piorar em algumas casos, além de causar traumas no local.

Amigdalite em crianças

O problema costuma ser mais comum em crianças por diversos motivos: dependendo da idade, elas tendem a colocar a mão em objetos partilhados e levar à boca; elas são mais sensíveis por causa do sistema imunológico em formação e, por isso, estão mais suscetíveis às inflamações; elas podem ter um aumento no tamanho das amigdalas por questões como a genética.

Fonte: dr. Jamal Azzam, otorrinolaringologista da Clínica Jamal e pai de Felipe e Camila