Artistas se unem para divulgar campanha que doa cestas básicas para famílias que precisam de ajuda

Ação acontece em todo o Brasil e incentiva que as pessoas que forem receber a primeira ou segunda dose da vacina contra Covid-19 leve algum item que faça parte da cesta

Resumo da Notícia

  • As pessoas podem levar comidas não perecíveis e outros itens para os postos de saúde quando forem ser vacinadas
  • Governo vai reunir esses alimentos e doar para coletivos e organizações
  • O projeto quer ajudar famílias que estejam passando por dificuldades na pandemia

A Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro, em parceria com a Secretaria Especial da Juventude Carioca (Juv-Rio), criou a campanha “Rio Contra a Fome), que tem como principal objetivo, recolher alimentos e outros itens da cesta básica, que vão ser doados para a população em maior vulnerabilidade social, devido à pandemia da Covid-19. Artistas como o comediante Fábio Porchat e Vanessa Giácomo, participaram do vídeo realizado para a campanha que pede que todos aqueles que forem se vacinar, e puderem, levem itens da cesta básica.

-Publicidade-

Raull Santiago, fundador da agência Brecha – hub de favela e faz parte da campanha, ele explica no vídeo que: “Essas doações serão destinadas aos coletivos de favelas que estão fazendo essa frente humanitária e levando comida para quem realmente precisa”. Segundo a prefeitura, a prioridade é arrecadar feijão,  arroz, óleo, fubá, leite em pó, açúcar e sabonete.

O secretário Salvino Oliveira publicou uma nota explicando como surgiu a ideia: “A campanha Rio Contra a Fome parte do diálogo aberto com as lideranças e coletivos das favelas. Vamos fazer a ponte entre qualquer um que queira ajudar e quem mais está sofrendo com a fome causada pela Covid. É o poder público em união com a população e organizações da sociedade civil, cada um fazendo a sua parte para minimizar a insegurança alimentar nas favelas”.

-Publicidade-

A secretaria também contou que as organizações e os coletivos escolhidos para a parceria, já atuam há pelo menos um para ajudar a população que mora nas comunidades e na periferia. Eles criaram uma rede de distribuição de doações de cestas básicas e itens de higiene. Entretanto, o volume dessas doações diminuíram.

Os mais de 250 postos municipais, incluindo os drive-trhu, vão poder receber esses itens da cesta básica e de higiene pessoal. A distribuição final de tudo que for arrecadado, vai ser realizada pelos coletivos e pelas organizações que participam do projeto.