Aulas presenciais: Justiça determina volta às aulas nas escolas do Rio de Janeiro

O retorno havia sido suspenso na noite do último domingo (4), porém a prefeitura considera a educação um serviço prioritário durante a pandemia da Covid-19

Resumo da Notícia

  • Prefeitura do Rio e determinou a volta às aulas presenciais das escolas públicas e particulares no município
  • A prefeitura considera a educação um serviço prioritário durante a pandemia da Covid-19

Na madrugada desta terça-feira, 6 de abril, a Prefeitura do Rio de Janeiro determinou a volta às aulas presenciais das escolas públicas e particulares no município. O retorno havia sido suspenso na noite do último domingo (4), porém a prefeitura considera a educação um serviço prioritário durante a pandemia da Covid-19.

-Publicidade-
Justiça derruba liminar e determina volta às aulas no Rio; escolas podem abrir imediatamente (Foto: Thinkstock)

De acordo com informações do G1, o desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira ressaltou que seguirá as restrições para combater o coronavírus e que a rede da prefeitura retoma as atividades nesta quarta-feira, 7 de março. “Todas as escolas seguem o sistema de rodízio (…), mantendo distanciamento e os devidos cuidados pertinentes, também continuando com aulas através da via remota”, disse.

A decisão para o retorno também partirá dos pais. “Na verdade, os pais podem escolher se deixam ou não seus filhos frequentarem as aulas”, afirmou enrique Carlos de Andrade Figueira.

Na noite de segunda-feira, dia 5 de abril, a juíza Georgia Vasconcellos da Cruz, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública, manteve a liminar concedida pelo juiz Roberto Câmara Lace Brandão, impedindo o retorno às aulas presencias nas escolas da capital do estado.

Na decisão, a magistrada frisou que a Prefeitura do Rio “vem agindo de forma absolutamente consciente, responsável e atenta com o ensino escolar”, mas pondera sobre “a impossibilidade de cumprimento por muitas escolas dos rígidos e corretos protocolos de saúde exigidos”.

Volta às aulas: 3 dicas criativas para organizar o retorno do seu filho para a escola na pandemia

Com um novo cenário, a volta às aulas pode ser bem diferente em 2021. Seja no ensino remoto, presencial ou híbrido, a gente sabe que é difícil manter as crianças focadas, principalmente em um ambiente que une o lar, home office e a educação. Felizmente, com o apoio e organização da família é possível mudar esse cenário.

Os post-its podem ser aliados na hora de desenvolver um calendário colorido e criativo para a organização (Foto: Divulgação)

Segundo Denise Ferreira, professora da Faculdade de Educação da UNICAMP, “é preciso lidar com os pais que também trabalham em casa e muitas vezes não sabem como dar o auxílio necessário aos filhos”. Por isso, o professor pode contribuir (e muito!) em todo esse processo para encontrar um equilíbrio na rotina. “Não só os pais passaram a ter um papel mais direto na educação dos filhos, como também passaram a compreender melhor a importância que o professor tem dentro da rotina da criança”.

Para Caroline Aguiar Moraes, gerente de produtos da 3M do Brasil, além das mudanças de educar, também foi notado diferenças em como consumir. “Antes da pandemia, a hora de comprar os materiais escolares era um momento de empolgação para as crianças, no qual elas podiam se divertir durante a escolha dos materiais”. Com a compra dos materiais online, pode ser um baita desafio para que a volta às aulas sejam sentidas de verdade pelas crianças. “De toda forma, a situação nos abre espaço para estimular a imaginação. É importante pensar em formas criativas para engajar e educar ao mesmo tempo”, completa.

Pensando nisso, a 3M, em parceria com Denise Ferreira, listaram dicas de ouro sobre a importância da organização no processo de aprendizagem. Para saber tudo sobre o assunto, confira no que você precisa ficar de olho para a volta às aulas do seu filho:

1. O processo de aprendizagem também pode ser divertido

Para tornar a educação ainda mais divertida, é importante que a criança seja parte desse processo, sendo a protagonista na construção das atividades junto com o professor e os pais. “Encontrar maneiras de engajar as crianças é importante, principalmente levando em conta que em casa as crianças perdem o foco com mais facilidade”, aconselha Denise.

Como uma alternativa de organizar tudo, os post-its são grandes aliados! “A linha de produtos da Post-it tem potencial para gerar engajamento. Até mesmo as cores coloridas, presente nos blocos, abrem espaço para a criança trabalhar sua criatividade. Com os blocos adesivos da marca, é possível elaborar várias tarefas interativas como jogo da memória, caça palavras e jogos de matemática, por exemplo”, completa Caroline.

Com o ensino remoto, é superimportante organizar o tempo e o espaço para as atividades escolares (Foto: Divulgação)

2. Organizar as atividades faz toda a diferença na volta às aulas

Como o local de estudo também virou o de trabalho e lazer, é preciso organizar o espaço comum para que todos possam aproveitar bem o tempo. A boa notícia é que dá para gerenciar a situação. “As metodologias ágeis de gestão, como Kanban e Scrum, utilizadas no mundo dos negócios, também podem ser adaptadas para a organização da rotina”, comenta Denise.

As atividades de recreação também devem ter seu tempo dividido dentro as outras tarefas da criança (Foto: Divulgação)

Nessa caso, os post-its também podem entrar em ação, montando assim calendários a partir dos blocos de nota coloridos! Por isso, dividir as tarefas da família em horários pode ajudar muito. “Além de dividir as reuniões do dia, é importante definir em um calendário o horário do café da manhã, almoço, e até mesmo do banho – para as crianças menores”, completa.

3. Os professores também precisam planejar o retorno escolar

A relação precisa ser uma via de mão dupla e cheia de parceria! Apesar das dicas serem para os pais e filhos, elas também valem para os educadores durante o retorno. No cenário virtual, também é preciso criatividade para engajar, por isso, planejar as aulas é um assunto superimportante da organização.

Para Denise, o professor pode começar a aula com o tema mais difícil como, por exemplo, escrita ou matemática, por conta do tempo de foco das crianças. Mas, a educadora reforça ainda que trazer novidades e novas formas de ensinar são essenciais. “Uma das opções é a gamificação, que consiste em utilizar dinâmicas de jogos para educar, tornando as aulas mais divertidas e produtivas”, conclui.