Casal se arrepende por ter o segundo filho e pensa em dar para a adoção: “Não estávamos prontos”

Família prometeu ajudar o casal e sumiu completamente da vida deles

Mulher desabafa em rede social sobre querer dar o filho para a adoção (Foto: Getty Images)

Em uma rede social popular nos Estados Unidos, Reddit, um casal desabafou sobre a vontade de dar o bebê de nove meses para a adoção. No post, a moça revelou que eles já eram pais de uma menina de dois anos e meio e que foi a família dela que pressionou os dois a terem o segundo filho.

-Publicidade-

O problema é que após o nascimento do menino, eles se recusaram a ajudá-los como tinham prometido e pior, sequer conversam com o casal mais. Por causa desta falta de apoio, ela e o marido estão considerando dar o filho caçula para a adoção.

O casal estava juntos há quatro anos e ela ficou grávida no primeiro ano de namoro, apesar de serem mais novos, eles se sentiram confiantes e tiveram uma linda menina. Se casaram e ela engravidou oito meses depois do nascimento da primeira filha. “Nós não estávamos prontos para outra criança, então eu fiz um aborto com 15 semanas de gestação. Nós não contamos para ninguém porque nossa família é contra o aborto. A única pessoa para quem eu falei sobre isso foi minha irmã e hoje vejo que foi um erro”, conta.

-Publicidade-

Foi ai que o problema começou. Sua irmã contou à sua mãe e a relação entre as duas ficou complicada durante um bom tempo, mas eventualmente tudo parecia ter se acertado.

Mesmo estando tudo bem, a menina se sentiu culpada por ter desapontado a mãe e acabou engravidando novamente: “Minha mãe ficou muito feliz com a notícia. Eu expliquei para ela que nós não estávamos totalmente prontos para ter outro filho, mas minha mãe disse que estava aposentada e poderia nos ajudar com o pequeno”.

Mas, com o nascimento do segundo filho, a família sumiu completamente. Eles se mudaram, bloquearam o casal em todas as redes sociais e interromperam toda e qualquer tentativa de comunicação entre eles. “Minha mãe disse que estava fazendo isso como uma punição por eu ter tido um aborto antes e que nós não éramos mais parte da família e que eles não iriam nos ajudar. Todo o apoio que eu teria foi para zero em uma questão de semanas.”, ela conta que nem mesmo sua irmã quis falar com ela.

Agora com os dois filhos, as dificuldades começaram a aparecer e o casamento começou a afundar. Não tendo apoio nenhum, o marido é obrigado a trabalhar o dia inteiro enquanto sua mulher fica em casa cuidando das crianças. Ela diz que não é uma vida miserável, mas que é algo próximo a isso.

“Eu falei com meu marido sobre dar o nosso filho caçula para a adoção, assim ele seria criado em um lar melhor. E não só isso, talvez nosso casamento fosse melhorar e poderíamos criar nossa filha melhor e continuar nosso caminho de ter só um filho. Mas ele não quer, porque ama os dois igualmente. Será que eu sou uma babaca por considerar dar meu bebê para adoção?” perguntou a moça para os leitores de seu fórum. “Não é sobre dinheiro ou tempo, é sobre estresse e desejo de ter uma família menor”.

Leia também:

Novo Cadastro de Adoção é lançado em agosto; entenda o que muda

Ser mãe: culpa eterna?

Uma difícil escolha: carreira, família ou ambos?

-Publicidade-