Começam os testes da vacina que combate ao câncer de mama

Cientistas dos Estados Unidos iniciaram testes da vacina que previne o câncer de mama, triplo negativo, o mais agressivo

Resumo da Notícia

  • Começaram os testes das vacinas contra o câncer de mama
  • Mulheres entre 18 a 24 anos que já foram diagnosticadas com a doença participarão dos teste
  • A pesquisa deve durar até setembro de 2022

Cientistas norte-americanos começaram a testar vacinas contra o câncer de mama em mulheres, de acordo com a revista Time. A dose é referente ao câncer de mama triplo negativo, o mais agressivo de todos. Esse não responde aos tratamentos.

-Publicidade-

Esse tipo de câncer mais elevado, é amenizado somente através da retirada completa da mama. No entanto, com a invenção da vacina, as mulheres poderão produzir anticorpos para prevenir a doença.

Começam testes de vacinas contra câncer de mama
Começam testes de vacinas contra câncer de mama (Foto: Reprodução / IstoÉ)

Os testes começarão, em primeira fase, com mulheres de 18 a 24 anos, que já tiveram o câncer de mama nos últimos três anos. E que permaneceram somente a etapa inicial.

Haverão três doses da vacina experimental, com intervalo de duas semanas. As participantes do teste, terão acompanhamento dos cientistas, para notar se haverão efeitos colaterais e como serão os resultados.

Como saberão a eficácia?

Se as mulheres que fizeram parte do teste apresentarem uma resposta imunológica nas células e se o câncer irá retornar ou não. A pesquisa deve durar até setembro de 2022, e até lá, o estudo contará com mais participantes, incluindo pacientes com alto risco de desenvolver câncer de mama agressivo e que ainda não foram diagnosticadas.

Mesmo com a pandemia, é importante não adiar consultas e exames (Foto: Shutterstock)

O câncer de mama é o tumor mais frequente entre as mulheres

Segundo uma pesquisa recente realizada pelo Ibope Inteligência, a pedido da Pfizer, felizmente, cerca de 72% das mulheres entrevistadas vão ao ginecologista ou mastologista pelo menos uma vez ao ano. Entretanto, uma a cada quatro disseram que não falam com o médico sobre prevenção e não recebem orientações sobre a importância de um checkup anual ou de como realizar o autoexame.

Quais sinais preciso ficar de olho?

  • Edema da pele
  • Inchaço em uma parte ou em toda a mama, mesmo que não seja um nódulo
  • Vermelhidão na pele
  • Assimetria das mamas
  • Espessamento ou retração da pele ou do mamilo
  • Secreção saindo pelos mamilos
  • Dor no mamilo ou na mama

É possível prevenir?

O câncer de mama, a partir de uma prevenção primária, pode estar relacionado à fatores hereditários e também àqueles que são modificados com o tempo como, por exemplo, inatividade física, consumo de álcool, terapia de reposição hormonal e excesso de peso corporal, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA).

Na maioria dos casos de tumor na mama, cerca de 90% a 95% não estão associados a causas genéticas. A partir de hábitos de vida mais saudáveis, com uma alimentação adequada, nutrição e prática regular de exercícios, os riscos do desenvolvimento da doença podem ser diminuídos. Além disso, é recomendado também a amamentação como um fator protetor, segundo o instituto.

Autoexame: como fazer?

De acordo com as orientações do Instituto Brasileiro de Controle de Câncer (IBCC), o autoexame deve ser realizado uma vez a cada mês, na semana seguinte ao término da menstruação. Existem duas formas de fazer o autoexame, são elas:

No chuveiro ou deitada:

  • Coloque a mão direita atrás da cabeça. Deslize os dedos indicador, médio e anelar da mão esquerda suavemente em movimentos circulares por toda a mama direita. Repita o movimento utilizando a mão direta para examinar a mama esquerda.

Diante do espelho:

  • Levante os braços, colocando as mãos na cabeça. Observe se ocorre alguma mudança no contorno das mamas ou no bico
  • Repita a observação, colocando as mãos na cintura e apertando-a. Observe se há qualquer alteração
  • Finalmente, esprema o mamilo delicadamente e observe se sai qualquer secreção. A observação de alterações cutâneas ou no bico do seio, de nódulos ou espessamentos e de secreções mamárias não significa necessariamente a existência de câncer.