Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência: 9 histórias para inspirar sua filha desde cedo

Como uma maneira de mostrar que tudo é possível, além de provar que os sonhos podem sim virar realidade, te contamos trajetórias emocionantes na ciência para inspirar desde cedo

Resumo da Notícia

  • 11 de fevereiro é o Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência
  • Atualmente, menos de 30% das mulheres no mundo são pesquisadoras
  • Conheça 9 histórias para inspirar

Você sabia que nesta quinta-feira, 11 de fevereiro, é o Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência? A data, tão importante para enaltecer os trabalhos incríveis e que, de alguma maneira, mudaram o mundo, também é uma baita inspiração para as crianças que pretendem seguir o mesmo caminho. Atualmente, segundo as instituições, menos de 30% das mulheres são pesquisadoras em todo o mundo.

-Publicidade-
Menos de 30% das mulheres no mundo são pesquisadoras (Foto: Getty Images)

Em nota, Phumzile Mlambo-Ngcuka, diretora-executiva da ONU Mulheres disse que “a ciência e a inovação podem trazer benefícios que mudam a vida, especialmente para aqueles que são os mais deixados para trás, como mulheres e meninas que vivem em áreas remotas, idosos e pessoas com deficiência”. Além disso, “a ciência também será essencial para o trabalho decente e empregos do futuro, inclusive na economia verde, e poderá criar um mercado para as ideias e produtos inovadores das mulheres“.

Para lembrar a trajetória de algumas mulheres que fizeram a diferença na ciência, reunimos nomes que dedicaram grande parte do tempo a comunidade, fazendo melhorias como um todo para a população. Veja um pouco da história de cada uma delas:

Marie Curie

Marie é filha de professores (Foto: reprodução / UOL)

A primeira mulher no mundo a receber um Prêmio Nobel e a única a ganhar dois prêmios – de Química e Física. A cientista foi responsável por descobrir os elementos rádio e polônio. Nascida em 7 de novembro de 1867, Marie é mais nova de 5 filhos de Bronislawa e Wladyslaw, que eram professores.

Rosalind Franklin

Rosalind foi uma química britânica (Foto: reprodução / The Guardian)

Pioneira em biologia celular, a cientista é considerada a “mãe do DNA”, por descobrir a estrutura do ácido desoxirribonucleico. Nascida em 1920, sendo a segundo de 5 filhos, Rosalind decidiu que queria ser cientista desde os 15 anos. Ela também ganhou destaque pelo trabalho de difração dos raios-x, além de estudos sobre as microestruturas do carbono e do grafite.

Katherine Johnson, Dorothy Vaughan e Mary Jackson

Katherine, Dorothy e Mary são grandes personalidades da ciência (Foto: reprodução / Unicamp)

As três cientistas ganharam destaque por atuar como “computadores humanos” para a NASA, tornando possível que John Glenn fosse o primeiro homem norte-americano a orbitar ao redor da Terra em 1962. Com toda luta e resistência, Katherine, Dorothy e Mary inspiraram muitas outras mulheres com as personalidades fortes e tão essenciais para a ciência no mundo.

Jaqueline de Jesus e Ester Sabino

Jaqueline e Ester colaboraram muito para a produção de vacinas (Foto: reprodução / Fantástico)

Em tempo recorde, as cientistas brasileiras sequenciaram o genoma do novo coronavírus e entraram para a história. 48 horas após a confirmação do primeiro caso no país, Jaqueline e Ester conduziram o trabalho ao lado de outros pesquisadores do Instituto Adolfo Lutz (IAL), do Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo (IMT-USP) e da Universidade de Oxford. O trabalho foi fundamental para o desenvolvimento de testes diagnósticos e também das vacinas.

Mae Jemison

Mae orbitou a Terra em 1992 (Foto: reprodução / NASA)

Além de cientista, ela também é médica, engenheira e ex-astronauta. Atualmente com 64 anos, Mae foi a primeira mulher negra a ir para o espaço, fazendo parte da tripulação do ônibus especial Endeavour, que orbitou a Terra em 1992. Seu trabalho mais recente é a liderança da organização 100 Year Starship, que possui o objetivo de enviar humanos para além do Sistema Solar nos próximos 100 anos.

Wang Zhenyi

Wang se inspirou no avô (Foto: reprodução / Massive Science)

A cientista, astrônoma, matemática e poeta da Dinastia Qing. Wang vivia com o pai, a avó e o avô, sendo este último a inspiração pelo amplo conhecimento e amor pela literatura. Ele também foi o seu primeiro professor em astronomia! Sendo um destaque, ela explicou e provou como os equinócios funcionam e como os movimentos poderiam ser calculados.