Doenças de inverno: tire suas dúvidas sobre prevenção e cuidados com a saúde

A speaker da Boiron, Dra. Paula C. Borelli Barros conversou com a Pais&Filhos e reforçou a necessidade de uma atenção redobrada nesta época do ano, além de citar a homeopatia como uma forma de evitar a contaminação

Resumo da Notícia

  • As doenças de inverno estão por aí e merecem atenção
  • Conversamos com a Dra. Paula C. Borelli Barros, speaker da Boiron, para contar alguns cuidados necessários
  • Ela reforça a importância da homeopatia nesse processo

Nesta época do ano, as doenças respiratórias ganham ainda mais destaque com a queda de temperaturas e ambientes menos ventilados. Porém, as atenções devem ser redobradas para manter a saúde da família. Conversamos com a Dra. Paula C. Borelli Barros, pediatra há 23 anos, com título de especialista em pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria, especialista e Nutrição Infantil pela Universidade de Boston e em formação em Homeopatia pela escola francesa CEDH, mãe de Isabella, speaker da Boiron, para tirar algumas dúvidas sobre o tema.

-Publicidade-
O cuidado com a saúde deve ser uma prioridade durante todo o ano, mas é ainda mais essencial no inverno (Foto: Getty Images)

O que são as doenças de inverno? Poderia citá-las e explicar um pouco sobre cada uma delas?

As principais doenças que costumam aparecer no inverno são as respiratórias, como resfriados e gripes, além de sinusites e otites, principalmente em crianças. Também existem algumas doenças que são crônicas e tem o quadro agravado no frio como rinite e asma. As pessoas que mais sofrem com estas doenças são as crianças e os idosos, por terem o sistema imune mais fragilizado.
– Gripe e resfriado: apesar de terem sintomas semelhantes, na gripe os quadros são mais intensos e no resfriado são mais leves e com uma menor duração. Além disso, no resfriado a região afetada é mais superior do pulmão, enquanto que na gripe, todo o pulmão pode ser afetado.
– Sinusites e otites: sinusite é a inflamação da mucosa dos seios paranasais e das cavidades que existem no interior dos ossos da face. Já a otite média é a inflamação do ouvido, que pode acontecer devido à presença de vírus ou bactérias, apesar de existirem outras causas menos comuns.
– Asma e rinite alérgica: enquanto a asma provoca crises de falta de ar, chiado, sensação de aperto no peito e tosse, a rinite alérgica traz espirros, obstrução nasal, coriza e coceira no nariz, olhos, garganta e ouvidos.

Qual a importância da prevenção para conter as doenças de inverno?

Fundamental! Para algumas dessas doenças já temos vacinas, como é o caso da influenza (gripe), cuja vacina deve ser feita anualmente e a vacina contra pneumonia pneumocócoca, recomendada para crianças, adultos com doenças crônicas e idosos. Além disso, o grande problema dessa estação é ficarmos em ambientes fechados devido ao frio. É importante tentar manter o máximo de ventilação possível e sempre manter o ambiente e roupas de camas limpos e bem secos. Também podemos utilizar de medicamentos homeopáticos, com eficácia comprovada na prevenção.

Quais são as formas das famílias se protegerem contra as doenças de inverno?

Essencialmente por meio da prevenção conforme citado acima. Evitar a auto medicação e sempre procurar um especialista antes de ir até um serviço de emergência.

A proteção contra as doenças de inverno também ajuda na prevenção ao coronavírus? Por que?

Na verdade a prevenção contra doenças respiratórias são muito semelhantes à prevenção de doenças infecto contagiosas de uma forma geral: evitar aglomerações, manter as mãos e ambientes limpos, deixar os locais arejados – e essas medidas automaticamente auxiliam na prevenção contra o novo coronavirus, assim como o inverso. Por isso, tivemos uma redução de casos dessas doenças no último ano, uma vez que as pessoas ampliaram as medidas básicas de proteção no dia a dia, hábito que não era tão acentuado anteriormente.

Quais as principais diferenças nos sintomas/tratamentos entre resfriado, gripe e coronavírus? Como podemos diferenciar?

O principal é observar que o resfriado é mais brando e raramente vem acompanhado de febre alta. Já a gripe e a covid-19 podem apresentar sintomas muito semelhantes como febre alta, tosse e cansaço. O grande diferencial da covid-19 é a falta de ar ou cansaço excessivo, que nem sempre ocorre em quadros de gripe. O ideal é que todas as pessoas se vacinem contra a gripe para evitar essa confusão de sintomas e ajudar o sistema de saúde no diagnóstico e sempre buscar auxilio médico, seguido de testagem para o diagnóstico correto para a covid19. O tratamento para todas as condições é paliativo, ou seja, trata-se os sintomas até que se reduzam.

Qual é o momento de ir para o hospital ao apresentar os sintomas das doenças de inverno?

Deve-se evitar ao máximo, caso a família tenha o contato direto de um pediatra ou médico da família. Assim, ele irá orientar da melhor forma, atender de forma segura no consultório e com isso evitar a sobrecarga dos serviços de emergência. No entanto, principalmente nos casos de falta de ar excessiva, é importante buscar um pronto atendimento.

Mesmo em outras épocas do ano, é importante manter os cuidados para prevenir essas doenças?

Com certeza. Apesar de muitas dessas doenças se agravarem no inverno, as doenças infecto contagiosas circulam durante todo o ano e podem ser transmitidas caso se afrouxe as medidas de prevenção. Eu, particularmente, uso medicações preventivas durante o ano todo, conseguindo uma redução no uso de antibióticos.