Família

Está comprovado: viajar com os avós é mais divertido!

E existe alguém que ainda duvide disso?

Nathália Martins

Nathália Martins ,Filha de Sueli e Josias

(Foto: iStock)

(Foto: iStock)

No dia 26 de julho é comemorado o Dia dos Avós, isso a gente já falou demais e todo mundo já sabe. Mas o que poucos sabem é que os avós deixam qualquer passeio e viagem ainda mais divertido. E não somos nós que estamos falando, são os dados que comprovam.

Uma pesquisa realizada pelo AlugueTemporada e conduzida em novembro de 2017 por Maria Helena Bartholo e Daniel Becker, psicopedagoga e pediatra respectivamente, entrevistou mais de 2250 pessoas e concluiu que 87% dos viajantes acham que as viagens sem os avós perdem um pouco da graça.

Os dados ainda mostram que muitos concordam que viajar em família é a ocasião perfeita para se unir ainda mais, além de conhecer novos lugares e culturas juntos. Os avós ainda são super participativos na hora de planejar todo o passeio, dá para acreditar?

A pesquisa traz um número ainda mais divertido: 72% dos avós não se preocupam se os pais não podem viajar e acabam indo somente com os netos. Isso porque esses momentos proporcionam a criação de um laço afetivo ainda maior entre eles. Não tem como não amar, não é?

Seu filho deve passar muito tempo com os avós, sim!

A contribuidora do POPSUGAR, Laurel Niedospial, fez um desabafo sobre quanto tempo as crianças devem ficar com os avós. Nós, claro, amamos e sabemos que você vai se identificar MUITO! Veja:

“Há algumas coisas que eu me sinto um pouco culpada como mãe. Claro, talvez meu filho não deva ganhar um brinquedinho toda vez que formos a uma loja de departamento. Eu já entendi isso. Mas uma coisa sobre a qual nunca me sentirei culpada é a quantidade de tempo que ele passa com seus avós.

Eles simplesmente adoram passar tempo juntos. Em algumas manhãs a avó o leva a um museu ou recreio apenas para que ele retorne alimentado e exausto, pronto para uma soneca. Outros dias ela o pega depois do cochilo e eu não o vejo até a hora do jantar.

Eu não a pago por esses tempos, já que não é o trabalho dela. Sou grata pelo tempo que ela me dá para relaxar, limpar e passar tempo com meu marido. Enquanto egoisticamente, isso é ótimo para mim, também é um tempo inestimável para ambos. Minha mãe trabalhou muito quando eu era criança. Como mãe solteira, ela admite que perdeu muitas experiências comigo. Para ela, o tempo com o neto foi uma maneira de compensar os momentos perdidos da minha infância.

Meus avós não estavam por perto quando eu estava crescendo, não devido à falta de saúde, mas mais porque eles simplesmente não queriam gastar tempo com uma criança indisciplinada. Sim, eu sei que as crianças são um trabalho árduo e eles já tinham a própria vida para viver. Ainda assim, isso não significa que eu não esteja triste por não ter tido as experiências com meus avós. O fato de que meu filho não tem um, mas duas avós que querem passar muito tempo com ele é incrível.

Além disso, ele também passa o final de semana na casa de sua avó e avô pelo menos uma vez por mês. Eles nadam, brincam com carros e comem muito mais açúcar do que eu permitiria. Não importa o que eles façam, porque é hora especial que eles passam um com o outro.

Claro, eu me beneficio com essas visitas frequentes dos avós. Meu marido e eu não estamos sofrendo com falta de noites de namoro, eu tenho tempo para me exercitar ou cuidar de qualquer tarefa. Isso não quer dizer que eu estou ‘jogando’ a criança para que eu possa viver. Ele é minha vida e sinto falta dele quando não está por perto. Eu gasto muito tempo com ele, mas também me recuso a roubá-lo dos relacionamentos incrivelmente especiais que ele tem com seus avós.

Avós são extensões de nós como pais e ele confia e os ama completamente. Trabalhamos juntos como uma família para criar meu filho e sou incrivelmente grata pela ajuda que recebo. Não, não estou contornando minhas responsabilidades como mãe. Estou dando ao meu filho algo que nunca tive. Assim, ele crescerá sabendo que ele tem uma enorme aldeia de pessoas que o amam”

Leia também:

Saiba tudo sobre guarda compartilhada com os avós!

Relato de mãe: “não existem regras na casa dos avós dos meus filhos e eu não ligo mais”

Seu filho deve passar muito tempo com os avós, sim!