Golfinhos ajudam equipes de resgate a localizar homem que desapareceu no meio do oceano

O caso aconteceu na praia de Castlegregory, no condado de Kerry, Irlanda, e a Fenit RNLI teve ajuda dos animais marinhos nas buscas

Resumo da Notícia

  • Um banhista desapareceu em alto-mar
  • As equipes de resgate quase não conseguiram encontrar ele
  • Um grupo de golfinhos ajudou a achar o homem

Em uma manhã de agosto, uma pessoa estava passeando com o cachorro na praia de Castlegregory, no condado de Kerry, Irlanda, e avistou uma pilha de roupas na areia. Vendo que o dono não voltava, ela chamou os guardas salva-vidas da praia. A equipe vasculhou o mar em busca do homem, mas não tiveram sucesso em achá-lo. Assim, chamaram a equipe de resgate local “Fenit RNLI” para obter ajuda.

-Publicidade-
Os golfinhos ajudaram no resgate do homem
Os golfinhos ajudaram no resgate do homem (Foto: Pixabay)

Quando as equipes de resgate chegaram com o barco, começaram a procurar pela Baia de Tralee pelo nadador desaparecido. Quando estavam quase desistindo, a polícia enviou mais dois botes salva-vidas e um helicóptero para aumentar a possibilidade de encontrar algo. Por volta das 20h30, eles viram um grupo de golfinhos em que no centro, havia um ser humano. O homem mal conseguia manter o queixo acima da água.

“Ele estava a todo momento tentando manter a cabeça acima da água, fazendo bastante esforço com as pernas. O homem era um nadador competente e nesta época do ano a água estava mais quente, o que ajudava ele também (baixando o risco de hipotermia). Ele não estava tão mal quando o puxamos para o barco, mas sua temperatura corporal estava bem baixa”, disse o timoneiro Finbarr O’Connell.

Ele foi levado ao hospital no mesmo momento e depois de alguns dias, recebeu alta sem sequelas. As equipes de resgate definiram o momento como um verdadeiro milagre. Eles geralmente não tem sucesso quando um nadador desaparece, devido ao grande tamanho do oceano e as fortes correntezas.

No relatório oficial, Finbarr observou que havia “muitos golfinhos na água, próximos à zona de resgate”. Embora ele não tenha especulado se eles ajudaram conscientemente o nadador, o timoneiro disse: “Talvez eles o ajudaram de uma forma ou de outra: quem sabe?”