Inspiração! Avó aprende a escrever “parabéns” para presentear neta com bilhete

Marlene Carneiro, aos 77 anos, se esforçou para escrever uma mensagem de aniversário para a neta, Clarice, que completou 22 anos

Resumo da Notícia

  • Marlene Carneiro, aos 77 anos, se esforçou para escrever uma mensagem de aniversário para a neta, Clarice, que acaba de completar 22 anos
  • A neta pediu de presente um bilhete da avó, e claro, ela não poderia recusar o pedido!
  • A neta, ensinou dona Marlene a ‘desenhar’ as letras pra guardar a mensagem de recordação

Inspiração! Marlene Carneiro, aos 77 anos, fez um lindo gesto para escrever uma mensagem de aniversário para a neta, Clarice Carneiro, de 22 anos. A neta pediu de presente um bilhete da avó, e claro, Dona Marlene não poderia recusar o pedido!

-Publicidade-
Ela se emocionou a escrever o bilhete para a neta (Foto: Reprodução / Instagram @clariceccarneiro)

Ela escreveu este bilhete com a palavra ‘parabéns’. A neta, ensinou Marlene a ‘desenhar’ as letras para assim conseguir guardar o  bilhete de recordação. “Eu só ensinei ela a montar aquelas palavras pra fazer um bilhetinho pra mim e resolvi gravar porque achei que gostaria de lembrar desse momento pra sempre”, disse Clarice segundo o Só Notícia Boa.

Clarice também contou que avó mora na roça, na Bahia e não teve oportunidade de estudar na infância. “Como qualquer outra pessoa que nasceu e cresceu na roça, ela teve uma vida difícil, mas está aprendendo a ler por um processo de assimilação com os hinos da igreja”, explicou.

-Publicidade-
Ela escreveu “Minha neta Clarice. Parabéns!” (Foto: Reprodução / Instagram @clariceccarneiro)

Atualmente a neta mora em Juazeiro, a 120 km da casa de avó e visita ela uma vez por mês. Quando vai lá ela lê a Bíblia para a vó. A neta ficou tão emocionada com a reação da avó escrevendo que disse que irá repetir a “aula” sempre que for visitá-la.“Eu percebi que ela se mostrou bem disposta para escrever, parecia que tinha anos que ela não pegava numa caneta. [Quando voltar] vou pedir pra que ela escreva mais coisas num caderninho”, contou.

Clarice espera que o a história inspire outras pessoas com familiares que ainda não sabem ler e escrever. “Vamos ver se as pessoas doutrinam os olhos pra cuidar dos nossos idosos. Sinto falta de ter ela por perto e ela sente falta da gente. Dar esse tipo de estímulo faz diferença na vida deles”, finalizou.

-Publicidade-