Jovem que pode ser a 1ª mulher brasileira no espaço estudou a vida inteira em escola pública

Laysa Peixoto Sena Lage, de 18 anos, faz física na Universidade Federal de Minas Gerais (UFM) e no próximo dia 24, embarcará em uma viagem para os Estados Unidos, para realizar um curso da NASA

Resumo da Notícia

  • Laysa descobriu um asteroide ano passado
  • Ela já foi medalhista de olimpíadas científicas
  • A jovem viaja no dia 24 de maio para realizar um curso na NASA

Laysa Peixoto Sena Lage, de 18 anos, descobriu um asteroide analisando imagens do computador de casa, em agosto de 2021, em Contagem, Belo Horizonte. Cerca de 8 meses depois, ela está de malas prontas para participar de um treinamento para astronautas na NASA. A jovem viajará para os Estados Unidos no dia 24 de maio. Ela vai ficar no país por um mês, e nesse tempo vai fazer o curso e também conhecer outros complexos da NASA.

-Publicidade-

“Serei tripulante da Expedição 36 do curso Advanced Space Academy da NASA, em que serei treinada como astronauta. Esse é um grande passo na minha jornada até me tornar a primeira mulher brasileira a ir ao espaço, que é meu maior objetivo“, disse Laysa em entrevista ao G1.

O que ajudou a jovem a passar na seleção, além da descoberta do asteroide, foi ser medalhista de olimpíadas científicas. Em 2020, ela levou a medalha de prata na 23ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, e também, chegou à final da Competição Internacional de Astronomia e Astrofísica, levando para casa a medalha de bronze. “Estou muito animada para o treinamento. Estou me preparando para os desafios que fazem parte de uma missão espacial e nada é mais empolgante que isso“, falou Laysa.

A descoberta: Brasileira que estudou em escola pública a vida toda descobre asteroide na NASA

Laysa Peixoto Sena Lage sempre foi apaixonada pelas estrelas e ciência. A estudante brasileira descobriu com apenas 18 anos um asteroide no espaço durante uma pesquisa para a NASA, a Agência Espacial Norte-Americana.

Laysa já coleciona certificados científicos (Foto: Reprodução / Instagram)

A descoberta aconteceu em agosto desse ano após uma campanha da NASA. A moradora de Contagem, Belo Horizonte, em Minas Gerais, estudou a vida toda em uma escola pública. Porém isso não a impediu de seguir os sonhos. Em 2020, ela foi medalhista de prata na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) e ganhou a medalha de bronze na Competição Internacional de Astronomia e Astrofísica.

A campanha “caça asteroides”

Laysa estava no computador no início do ano, quando viu no site da NASA a campanha “caça asteroides”, realizada em parceria com a The International Astronomical Search Collaboration. Ela então decidiu participar e conseguiu realizar uma descoberta histórica de um novo asteroide. A rocha espacial foi batizada de LPS 003, as inicias do nome da jovem cientista.

Os internautas amaram a história da menina e a elogiaram muito. “Que felicidade ver mulheres brasileiras alcançando grandes conquistas no mundo da ciência“, escreveu um. “A ciência é maravilhosa! Essa menina vai ter um futuro brilhante, tenho certeza”, opinou outro. “Maravilhosa, que orgulho os pais dessa menina devem estar sentindo”, parabenizou outra.