Lilian Ribeiro emociona ao falar sobre diagnóstico de câncer de mama: sinais para ficar de olho

A apresentadora comentou sobre a saúde durante o programa que apresenta na GloboNews

Resumo da Notícia

  • Lilian Ribeiro emociona ao falar sobre diagnóstico de câncer de mama
  • A apresentadora comentou sobre a saúde durante o programa que apresenta na GloboNews
  • O câncer de mama é o que mais afeta mulheres no Brasil
  • Saiba mais sobre os sintomas e diagnóstico

A apresentadora Lilian Ribeiro, da Globo News, emocionou ao falar sobre o diagnóstico de câncer de mama ao vivo durante o programa “Em Pauta” desta segunda-feira, 8 de novembro. Ela entrou no programa usando um lenço para cobrir a cabeça e aproveitou para falar sobre a saúde.

-Publicidade-

“Você deve ter reparado que estou com um visual diferente, e quero muito dividir o motivo disso. No dia primeiro de outubro, eu fui diagnosticada com câncer de mama, é difícil, não é fácil, mas eu estou me tratando”, começou ela, falando sobre o diagnóstico.

Lilian Ribeiro se emociona ao falar sobre câncer de mama
Lilian Ribeiro se emociona ao falar sobre câncer de mama (Foto: reprodução Instagram)

“Queria que esse lenço fosse para você, aí em casa, uma lembrança não da doença que estou enfrentando, mas do fato que eu estou me cuidando e fazendo o melhor por mim, inclusive estar aqui”, continuou ela, mandando uma mensagem para as telespectadoras que passam pelo mesmo.

O momento repercutiu muito nas redes sociais e, momentos depois, ela usou o Instagram para comentar sobre o assunto e agradecer o apoio que recebeu. “Eu queria dizer muitas coisas. Mas os sentimentos ainda estão misturados aqui. O que consigo dizer agora é MUITO OBRIGADA, por cada palavra de incentivo e apoio. No mar revolto, vocês me presentearam hoje com uma onda de amor”, disse.

O câncer de mama é o tumor mais frequente entre as mulheres

Segundo uma pesquisa recente realizada pelo Ibope Inteligência, a pedido da Pfizer, felizmente, cerca de 72% das mulheres entrevistadas vão ao ginecologista ou mastologista pelo menos uma vez ao ano. Entretanto, uma a cada quatro disseram que não falam com o médico sobre prevenção e não recebem orientações sobre a importância de um checkup anual ou de como realizar o autoexame.

Quais sinais preciso ficar de olho?

  • Edema da pele
  • Inchaço em uma parte ou em toda a mama, mesmo que não seja um nódulo
  • Vermelhidão na pele
  • Assimetria das mamas
  • Espessamento ou retração da pele ou do mamilo
  • Secreção saindo pelos mamilos
  • Dor no mamilo ou na mama

É possível prevenir?

O câncer de mama, a partir de uma prevenção primária, pode estar relacionado à fatores hereditários e também àqueles que são modificados com o tempo como, por exemplo, inatividade física, consumo de álcool, terapia de reposição hormonal e excesso de peso corporal, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA).

Na maioria dos casos de tumor na mama, cerca de 90% a 95% não estão associados a causas genéticas. A partir de hábitos de vida mais saudáveis, com uma alimentação adequada, nutrição e prática regular de exercícios, os riscos do desenvolvimento da doença podem ser diminuídos. Além disso, é recomendado também a amamentação como um fator protetor, segundo o instituto.

Autoexame: como fazer?

De acordo com as orientações do Instituto Brasileiro de Controle de Câncer (IBCC), o autoexame deve ser realizado uma vez a cada mês, na semana seguinte ao término da menstruação. Existem duas formas de fazer o autoexame, são elas:

No chuveiro ou deitada:

  • Coloque a mão direita atrás da cabeça. Deslize os dedos indicador, médio e anelar da mão esquerda suavemente em movimentos circulares por toda a mama direita. Repita o movimento utilizando a mão direta para examinar a mama esquerda.

Diante do espelho:

  • Levante os braços, colocando as mãos na cabeça. Observe se ocorre alguma mudança no contorno das mamas ou no bico
  • Repita a observação, colocando as mãos na cintura e apertando-a. Observe se há qualquer alteração
  • Finalmente, esprema o mamilo delicadamente e observe se sai qualquer secreção. A observação de alterações cutâneas ou no bico do seio, de nódulos ou espessamentos e de secreções mamárias não significa necessariamente a existência de câncer.