Mães esperam do lado de fora durante Enem para “mandar energia positiva” às filhas

Foi a forma que a gerente comercial, Giovanna Freire, e a pedagoga, Renata Sobrinho, escolheram para  mostrar o seu apoio às adolescentes de 16 anos

Resumo da Notícia

  • Duas mães de Natal aguardam ansiosas pelo retorno das filhas durante a prova do Enem
  • Foi a forma que a gerente comercial, Giovanna Freire, e a pedagoga, Renata Sobrinho, escolheram para  mostrar o seu apoio às adolescentes de 16 anos
  • As duas dizem que estão mandando “energias positivas”

Desde às 13h, quando se fecharam as portas para o início da prova do Enem de 2020, duas mães de Natal aguardam ansiosas pelo retorno das filhas. Foi a forma que a gerente comercial, Giovanna Freire, e a pedagoga, Renata Sobrinho, escolheram para  mostrar o seu apoio às adolescentes de 16 anos. Em entrevista ao G1, as duas dizem que estão mandando “energias positivas”. 

-Publicidade-
Enem acontece neste domingo (Foto: Divulgação)

“Eu faço questão. Como mãe, eu tenho certeza que ela sente. Eu faço questão de deixar na sala. Como a gente não pôde entrar esse ano, eu fico aqui no cantinho fazendo minha oração para que ela sinta toda energia”, disse Giovanna, mãe de Bruna Freire. 

A jovem ainda vai cursar o último ano do Ensino Médio, mas quis fazer a prova para se preparar. “Digo para ela fazer tranquila. Ano que vem, se Deus quiser, ela vai atingir o objetivo dela. Como mãe, estou do lado dela sempre”, contou.

Enxoval do bebê

Está preparando o enxoval ou a lista para o seu chá de bebê? Olha só essa novidade: você pode criar sua lista personalizada com produtos na Amazon, que pode ser compartilhada com amigos e familiares em várias plataformas. Além disso, você também pode ganhar 10% de desconto na compra na maioria dos itens! Saiba mais sobre a ferramenta e veja produtos para o enxoval do bebê CLICANDO AQUI. Para montar a sua lista, acesse AQUI!

“Eu acredito que é coisa de mãe”

As mães deram seu apoio (Foto: Julianne Barreto/Inter TV Cabugi/ Reprodução / G1)

Já Renata, mãe de Gabrielle Marrocos, disse que “é coisa de mãe”, e acredita estar dando força para a filha dessa maneira. As duas não se conheciam e acabaram se aproximando ao perceber que estavam ali pelo mesmo motivo, a conexão com a família. 

“Eu acredito que é coisa de mãe, na verdade. É para dar uma força. Mesmo que seja de longe, a gente pensa que essa força chega mais rápido se a gente ficar aqui mais um pouquinho. Acredito que seja isso”, explicou a pedagoga.