Megan Markle aparece em público pela primeira vez após falar sobre aborto espontâneo

Ela participou recentemente de quadro no CNN Heroes no último domingo, 13 de dezembro, para prestar apoio e agradecer aos “heróis silenciosos” durante a pandemia de Covid-19

Resumo da Notícia

  • Megan Markle apareceu em público pela primeira vez após revelar que sofreu um aborto recentemente
  • A Duquesa de Sussex participou do quadro CNN Heroes no último domingo, 13 de dezembro, para prestar apoio e agradecer aos "heróis silenciosos" durante a pandemia de Covid-19

Megan Markle apareceu em público pela primeira vez após revelar ao ‘The New York Times’ que sofreu um aborto recentemente. A Duquesa de Sussex participou do quadro CNN Heroes no último domingo, 13 de dezembro, para prestar apoio e agradecer aos “heróis silenciosos” durante a pandemia de Covid-19.

-Publicidade-

“Em um ano que tem sido universalmente desafiador para todos, sou inspirada pelas histórias de compaixão em nossas comunidades. Em todo o país, as pessoas colocaram suas próprias necessidades de lado para se unir e apoiar o bem-estar coletivo daqueles ao seu redor”, começou ela.

Em seguida, Meghan comentou sobre como as pessoas se mobilizaram e foram generosas em um momento tão difícil. “Em março, a crise do Covid-19 atingiu duramente e da noite para o dia tudo parecia mudar. Para muitas famílias, o impacto da pandemia foi catastrófico e muitas se depararam com a pergunta dolorosa: como vou colocar comida na mesa para minha família? Mas, diante dessa realidade devastadora, também vimos o poder do espírito humano e as formas notáveis ​​como as comunidades respondem em tempos de desafios. Vimos o bem nas pessoas, em nossos vizinhos e em todo comunidades se reunindo para dizer que não ficariam paradas enquanto nossos vizinhos passassem fome”, complementou.

Ela apareceu em público pela primeira vez após anuncio de aborto espontâneo (Foto: reprodução/ Getty Images)

Atualmente ela mora em Los Angeles com o Príncipe Harry e o filho, Archie. A Duquesa não esqueceu de mencionar as comunidades que levaram alimentos para pessoas em dificuldade nos EUA.

“Vimos comunidades se levantando e agindo. Quando os programas de merenda infantil foram interrompidos, vimos nossos vizinhos garantirem que essas crianças recebessem a nutrição de que precisam. E quando aqueles que são imunocomprometidos ou mais vulneráveis ​​não podiam sair de casa , nós, como comunidade, aparecemos para entregar os alimentos de que eles precisavam na porta. Sabemos o valor da comida; como alimento, como fonte de vida, e nos momentos de crise, o calor de uma refeição pode ser tão reconfortante quanto um abraço tão necessário – especialmente na ausência de contato humano devido ao distanciamento social que todos experimentamos”, concluiu Megan.