Multivacinação de crianças e adolescentes começa nesta sexta em SP: confira os detalhes

Esta faixa etária terá acesso aos imunizantes de doenças como caxumba, sarampo, tuberculose e poliomelite

Resumo da Notícia

  • São Paulo começará a multivacinar crianças e adolescentes nesta sexta-feira (1)
  • Serão disponibilizadas uma série de vacinas para estas faixas-etárias
  • Sarampo, Caxumba e Poliomelite serão algumas das doenças que terão vacinas disponíveis

São Paulo começa a multivacinar nesta sexta-feira, 1 de outubro, crianças e adolescentes. Até o dia 29 de outubro, serão 25 mil postos de saúde disponibilizando os imunizantes para doenças como caxumba, poliomelite e sarampo para este grupo.

-Publicidade-

No total, serão 18 imunizantes diferentes que compõem o calendário de vacinação de crianças e adolescentes disponíveis no estado. O dia D da vacinação será 16 de outubro. O Ministério da Saúde propôs a medida a fim de atualizar a caderneta de vacinação de crianças e jovens e reforçar a proteção contra as doenças.

Confira os detalhes da vacinação
Confira os detalhes da vacinação (Foto: Reprodução / gettyimages)

Além disso, está prevista a redução de sequelas e surtos da doença que possam lotar hospitais e internações. Todas as vacinas serão disponibilizadas pelo SUS e têm a eficácia comprovada pela Anvisa. Confira quais os imunizantes disponíveis durante a ação:

  • BCG
  • dT (dupla adulto)
  • DTP (Tríplice Bacteriana)
  • dTpa
  • Febre Amarela
  • Hepatites A e B
  • HPV quadrivalente (Papilomavírus Humano)
  • Meningocócia ACWY (conjugada)
  • Meningocócia C (conjugada)
  • Penta (DTP/ Hib/ Hep C)
  • Pneumocócia 10 valente
  • Tetraviral (sarampo, rubéola, caxumba, varicela)
  • Tríplice Viral (sarampo, rubéola, caxumba)
  • Varicela (catapora)
  • VIP (Vacina Inativa Poliomelite)
  • VOP (Vacina Oral Poliomelite)
  • VRH (Vacina Rotavírus Humano)

Os postos de saúde seguirão todos os protocole de segurança contra a covid-19 na aplicação das vacinas: atividades em espaços abertos e ventilados, distanciamento social, controle do número de pacientes dentro dos locais e, enfim, uso obrigatório de máscaras durante todo o processo.