Olimpíadas de Tóquio: Nadadora é impedida de amamentar filho durante os jogos

A espanhola contou que as condições impostas pelo governo japonês a impossibilitaram de viajar com o bebê para o país. Ela precisou tomar uma decisão

Resumo da Notícia

  • Ona Carbonell é uma nadadora artística espanhola que foi convocada para os jogos olímpicos deste ano
  • Ela foi impossibilitada de amamentar o filho durante as Olimpíadas devido à restrições do Japão
  • A mãe decidiu ir aos jogos, e vai usar bomba de tirar leite

Ona Carbonell é uma nadadora artística espanhola e recordista de medalhas reconhecida mundialmente na modalidade. A mãe informou que, devido à restrições impostas pelo governo japonês, não poderá levar o filho Kai, de apenas 11 meses, na viagem para Tóquio, onde disputará os Jogos Olímpicos.

-Publicidade-

A atleta se viu em uma difícil situação. Ela precisou escolher entre competir pela terceira vez nas Olimpíadas, ou ficar em casa com o bebê. A pandemia levou os governantes japoneses a  tomar medidas severas de restrições para evitar um possível surto da Covid-19 no país.

Ona Carbonell foi impossibilitada de amamentar o filho durante os jogos olímpicos (Foto: Reprodução/ Instagram/ @ona_carbonell)

Em um vídeo compartilhado no Instagram, a capitã da equipe de nado sincronizado da Espanha questionou as condições impostas pela organização. Ela contou que enviou uma petição ao Comitê Olímpico (COI) para que ele autorizasse a ida do menino, que está em fase de amamentação. A resposta foi de que o bebê poderia viajar até o pais, mas os dois seriam submetidos às regras estabelecidas pelo governo japonês.

As regras eram: Kai e o pai Pablo teriam que ficar hospedados em um hotel e os dois não poderiam deixar o quarto durante as Olimpíadas. Para amamentar o menino, Ona teria que ir até o local, mesmo sendo distante da Vila Olímpica, o que poderia colocar em risco os demais membros da equipe.

Na legenda da publicação ela contou: “Jogos Olímpicos e conciliação familiar. Apesar do surgimento de algumas notícias que sugeriam a possibilidade de os atletas viajarem para os Jogos Olímpicos de Tóquio acompanhados de nossos bebês ou crianças pequenas, fomos informados pelas entidades organizadoras de algumas medidas extremamente drásticas que tornam essa opção impossível para mim”.

A nadadora continuou: “Depois de receber inúmeras expressões de apoio e incentivo para ir a Tóquio com Kai, eu queria expressar minha decepção e desilusão por finalmente ter que viajar sem ele”. Ela finalizou dizendo: “Nossa única possibilidade é esperar o fim desta pandemia para que volte a normalidade e com ela as medidas necessárias para tornar mais fácil para todos a reconciliação com os esportes familiares e de elite durante uma competição. Obrigado a todos pelo vosso apoio”.

Ela decidiu ir para as Olimpíadas (Foto: Reprodução/ Instagram/ @ona_carbonell)

Após pensar muito, Ona decidiu competir em Tóquio. A mãe disse que terá que usar a bomba de tirar leite por cerca de 20 dias, e espera que Kai ainda queira ser amamentado, o que é muito importante para ela. “Foi uma decisão muito complicada para mim. Espero que este vídeo e todos os outros atletas que estão lutando com o mesmo problema ajudem a normalizar essa situação, que hoje não é normal. Espero que esta ação ajude em futuras competições, torneios e Jogos Olímpicos”, concluiu a atleta.