Pai de bailarina pedala por 11 dias para ver a filha se formar após promessa para santa

Adalto de Freitas, de 52 anos, pedalou por 11 dias para ver a filha se formar. Ele saiu de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul e foi até Joinville, região norte de Santa Catarina, andando cerca de 1280 quilômetros de bicicleta

Resumo da Notícia

  • Adalto de Freitas, de 52 anos, pedalou por 11 dias para ver a filha se formar
  • Ele saiu de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul e foi até Joinville, região norte de Santa Catarina, andando cerca de 1280 quilômetros de bicicleta
  • jornada teve início há 11 anos, depois de uma promessa feita para uma santa com o mesmo nome da filha: Cecília

Adalto de Freitas, de 52 anos, pedalou por 11 dias para ver a filha bailarina se formar. Ele saiu de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul e foi até Joinville, região norte de Santa Catarina, andando cerca de 1280 quilômetros de bicicleta no final de 2020.

-Publicidade-

jornada teve início há 11 anos, depois de uma promessa feita para uma santa com o mesmo nome da filha: Cecília. O compromisso firmado com a santa era ir à formatura da filha de bicicleta, onde quer que ela estivesse. Para tornar o desafio ainda mais difícil ele contraiu a Covid-19 em abril e chegou a se questionar se levaria a viajem adiante.

Ele pedalou 11 dias para ver a formatura da filha (Foto: Reprodução/ G1)

“Eles [a família] queriam que eu conversasse com o santo e desmarcasse a viagem [risos]”, disse Adalto. Depois de meses de treino, o pagador de promessas superou o medo, o frio e a sede para ver a bailarina Cecília Bassetto formada, depois de 8 anos de estudos, na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, única filial da instituição fora da Rússia, nos dias 11, 12 e 13 de dezembro de 2020.

-Publicidade-

A promessa

Com 6 anos na época, Cecília teve um quadro grave de pneumonia. Segundo Adalto, a infecção foi tão danosa que chegou a afetar órgãos vitais da garota.

“Eu fiquei desesperado! No hospital onde ela ficou internada tinha uma capelinha. Era a capela de Santa Cecília. E isso me tocou muito. Aí fiz um compromisso, com a santa e com Deus. Se ela restabelecesse a saúde e realizasse o sonho da vida dela, eu faria três compromissos: primeiro, não beberia nada alcoólico; segundo, tudo que minha filha tivesse eu faria o máximo para proporcionar para outras crianças também; e terceiro, que onde quer que ela estivesse quando ela fosse se formar, eu iria até ela de bicicleta”, explicou.

A viagem

Adalto saiu no dia 26 de novembro de Campo Grande. A viagem durou 11 dias e o ciclista enfrentou frio, sede e o medo de ser assaltado durante o percurso. O produtor cultural pedalou, em média, 100 quilômetros ao dia.

Ele passou sede e frio durante a viagem (Foto: Reprodução/ G1)

“A principal [dificuldade] foi no segundo dia, quando eu fiz o trecho de bicicleta em Mato Grosso do Sul, saindo de Nova Alvorada e indo até Casa Verde. Foi um trecho que eu passei muita sede. O sol estava fora do comum. Quando eu cheguei em Mauá da Serra, eu passei por muito frio. Estava cerca de 13ºC de temperatura. Muita chuva. O consórcio de chuva e frio fez com que eu tivesse uma dificuldade acentuada […] foi bem desgastante, mas valeu a pena!”, afirmou.

Mesmo digital ele se encantou com o evento (Foto: Reprodução/ G1)

“A formatura foi show, mesmo sendo virtual”, concluiu. Agora, além de formada, Cecília Bassetto é uma das contratadas para atuar na Cia. Jovem Bolshoi Brasil no ano de 2021.

-Publicidade-