Remédios com 94% de eficácia contra coronavírus já têm data para teste em pacientes no Brasil

A medicação é um fármaco já conhecido e será testada em 500 brasileiros infectados pela covid-19. O país também está trabalhando para encontrar uma vacina contra a doença

Resumo da Notícia

  • O Ministro da Ciência e da Tecnologia, Marcos Pontes trouxe atualizações sobre o coronavírus no Brasil
  • Segundo ele será testado no país um remédio com 94% de eficácia
  • Os testes serão realizados em 500 pessoas
  • Ele contou também sobre a produção de vacinas no Brasil
Brasil testa remédio com 94% de eficácia (Foto: Getty Images)

Enquanto os números de casos de coronavírus no Brasil e no mundo só aumentam, os pesquisadores, médicos e cientistas estão na luta contra o tempo procurando remédios e vacinas para combatê-lo. O Ministro da Ciência e Tecnologia Marcos Pontes anunciou nesta quarta, 15 de abril, que o Brasil irá testar nas próximas semanas um “remédio promissor” contra a covid-19.

-Publicidade-

O medicamento tem eficácia de aproximadamente 94% em células infectadas pelo vírus e quase não possui efeitos colaterais. De acordo com o que foi dito pelo ministro, a medicação mostra o resultado em um período de no máximo um mês. A medicação será aplicada, à princípio em 500 pessoas.

Pontes contou que o país também está trabalhando na busca pela vacina contra a doença. “Vacinas demoram mais do que o reposicionamento de drogas, mas estamos trabalhando com vacina dupla, tanto para Influenza quanto para a Covid”, disse. Ele ressaltou, ainda, que apenas a ciência é capaz de combater essa pandemia.

-Publicidade-

Por ser um remédio conhecido, o ministro não divulgou o nome, a fim de evitar a “corrida” às compras, como ocorreu com a cloroquina, o que acabou prejudicando algumas pessoas que já faziam uso da medicação para outros tratamentos.

“Teremos nas nossas mãos, desenvolvido no Brasil, no máximo, na metade de maio, a solução de um tratamento, com remédio disponível inclusive em formulação pediátrica”, assegurou o ministro.

De acordo com Marcos Pontes, 40 cientistas do Laboratório Nacional de Biociências (LNBio) realizaram testes com medicamentos já existentes, na busca por algum que se mostre eficaz no combate da doença, uma estratégia chamada de reposicionamento de fármacos.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!