Rinite alérgica: 10 dúvidas e respostas sobre os sintomas, causas e tratamentos

Você sabia que o problema é mais comum na infância? Para tirar todas as dúvidas e entender o que pode desencadear as crises, conversamos com o otorrino Alexandre Colombini sobre o assunto

Resumo da Notícia

  • É mais comum que a rinite alérgica apareça na infância
  • Entenda quais são os tipos de alergia
  • Veja os principais sintomas

Atchim! A rinite apareceu e junto com ela vieram os incômodos. Só quem vê os filhos passando por isso sabe: nariz coçando, espirros seguidos e olhos lacrimejando. Mas, calma! Com os cuidados certos é possível passar (bem!) pelo problema e driblar a situação dentro de casa.

-Publicidade-
O tratamento precisa ser feito de forma contínua (Foto: iStock)

Em uma conversa com o otorrinolaringologista Dr. Alexandre Colombini, tiramos as dez principais dúvidas sobre a rinite alérgica, que todos os pais precisam saber. A boa notícia é que com pequenas mudanças, podemos melhorar o ambiente.

Toda rinite é alérgica? Como posso diferenciar?

Não! Ela pode ter diferentes causas e aparecer por diversos motivos. “Na verdade, existem vários tipos de rinite como, por exemplo, a infecciosa, que é um problema bem comum e pode ser causado por vírus ou bactérias, como é o caso de uma gripe. Existem as medicamentosas, as que são causadas por alterações de temperaturas e até hormonais. Então, nem toda rinite é alérgica, mas ela tem uma alta prevalência. Podemos diferenciá-las a partir dos sintomas“, explica.

-Publicidade-

Tem cura?

Infelizmente, a rinite alérgica não possui cura, mas com tratamentos específicos é possível melhorar (e muito!) a qualidade de vida. “É muito importante que o paciente saiba disso para não criar falsas expectativas e entender o quão importante é fazer um tratamento regular e constante, para que ele se mantenha assintomático, ou seja, sem sintomas, e que essa doença não atrapalhe a vida dele”.

É mais comum na infância?

“Geralmente, o problema aparece mais na infância porque é nesta fase que o paciente tem contato com as substâncias. Então, ele pode nascer com uma predisposição genética a ser alérgico a uma certa substância, mas só a partir do momento que ele entra em contato com ela é que vai desenvolver a alergia. Por isso, no início da vida é quando começam a aparecer os sintomas, mas ele vai ser alérgico e vai ter essa alergia pela vida inteira, seja em graus maiores ou menores”, comenta Alexandre Colombini

Como identificar a rinite alérgica?

Os sintomas mais comuns são: “obstrução nasal, que é decorrente da inflamação que a alergia causa, a coriza, que é a secreção eliminada pela mucosa devido a hiper-reatividade, coceira, prurido nasal, e espirros, que tentam colocar essa substância que está causando a alergia para fora do organismo, tentando fazer uma limpeza”.

O que é a rinite sazonal?

É aquela que acontece em uma época específica do ano como, por exemplo, na primavera, na qual a rinite é causada pelo pólen. Ao contrário da rinite perene, que é aquela que afeta o paciente o ano inteiro.

O que pode desencadear uma crise de rinite alérgica?

Quando a criança ou adulto entra em contato com alguma substância que possa ser alérgico, ou tem predisposição, a crise pode ser desencadeada. “Então, pó, poeira, ácaro, mofo, fungo, bolor, pólen, são substâncias que estão no nosso ambiente e que podem desencadear a crise de rinite alérgica. Cheiros fortes também podem causar uma irritação dessa mucosa, causando esses sintomas”.

Existe a possibilidade do problema ser hereditário (Foto: Shutterstock)

Com o passar do tempo as causas da rinite alérgica podem mudar?

“O que pode acontecer é que ao longo da vida o paciente pode apresentar graus de sensibilidades diferentes. Então, em algum momento ele pode estar mais sensível a uma substância e se, de repente, ele entra em contato por mais tempo o organismo pode desenvolver uma certa resistência àquela substância e torná-lo mais tolerante”, explica.

Mudanças climáticas podem desencadear a rinite?

Com certeza! Com as mudanças climáticas, que possuem um papel importante quando o assunto é rinite alérgica, as crises podem ser desencadeadas quando o ambiente está mais frio ou úmido. “Existe uma maior propensão de você ter propagação de ácaros, fungos, mofo, bolor, que são substância que sabidamente acabam sendo gatilhos desencadeando as crises de rinite alérgica”.

O ar seco influencia nas alergias?

Sim! “O ar mais seco aumenta as chances de inflamações nas vias respiratórias. Por isso, mantenha os ambientes limpos e arejados ( sem produtos de limpeza com perfumes excessivos, procure os biodegradáveis), pois essa conduta pode auxiliar muito na qualidade de vida de todos na casa, inclusive das crianças que estão em isolamento social neste período”, comenta.

Ela pode passar de pai para filho?

Sim, assim como as demais alergias. “A rinite alérgica também pode ser hereditária, mesmo que os pais não manifestem tantos sintomas. O paciente irá desenvolver a doença quando começar a entrar em contato com as substâncias e o organismo encarar aquilo como algo alérgico. Então, ele acaba desenvolvendo os sintomas da doença por causa dessa predisposição”, conclui.

-Publicidade-