Vacina de dose única contra Covid-19 inicia testes em humanos depois de eficácia em macacos

O estudo publicado na revista Nature diz que a medicação desenvolvida pela Johnson & Johson foi capaz de neutralizar com sucesso o vírus no organismo dos animais

Resumo da Notícia

  • A vacina desenvolvida nos laboratórios da Johnson & Johnson passaram pelos testes em primatas
  • O próximo estágio de desenvolvimento será o teste em humanos
  • A vacina da empresa americana é de dose única

A revista Nature publicou nesta última quinta-feira, 30 de julho, que os testes da vacina de dose única da Johnson & Johnson tiveram sucesso nos primatas e agora deverão ser repetidos em humanos. De acordo com os resultados, depois da aplicação os anticorpos dos macacos neutralizaram o vírus e protegeram o organismo dos animais. A vacina da empresa americana está em estágio avançado de desenvolvimento e é uma das candidatas a ficar pronta em breve.

-Publicidade-
O mundo aguarda a liberação da vacina contra o Covid-19 (Foto: Getty Images)

“Esta vacina levou a uma proteção robusta contra o novo coronavírus em macacos rhesus e agora está sendo avaliada em seres humanos”, disse o diretor do Centro de Pesquisa em Virologia e Vacinas do Centro Médico Beth Israel Deaconess, Dan Barouch, em nota. Os testes clínicos em humanos serão feitos com um grupo de cerca de mil pessoas nos Estados Unidos e na Bélgica.

O experimento foi feito em 52 primatas: 32 macacos receberam uma das sete versões da vacina, enquanto os outros 20 receberam um placebo. Os animais que receberam a medicação desenvolveram os anticorpos neutralizantes e não apresentaram sinais do vírus no pulmão depois de serem expostos ao Covid-19.

-Publicidade-

O pesquisador chamou a atenção também para o fato da vacina da Johnson & Johnson ser em dose única, diferente da de Oxford, por exemplo, que seria fracionada em duas aplicações. “Ela é prática em relação à dose dupla, mas uma vacina de dose dupla provavelmente será mais imunogênica e, portanto, ambos os regimes estão sendo avaliados em ensaios clínicos”, disse Dan.

-Publicidade-