Varíola do macaco: OMS diz em nota sobre aumento de casos dos pacientes contaminados pela doença

A OMS disse que conforme a vigilância sanitária aumentar, os casos também aumentarão. São atualmente 92 casos pelo mundo em 12 países

Resumo da Notícia

  • Organização Mundial da Saúde atualiza sobre novos casos de Varíola do Macaco neste domingo
  • Foi dito que foram descobertos casos e não exclusivamente em homossexuais
  • A OMS também disse que conforme a vigilância sanitária aumentar, os casos também aumentarão

A Organização Mundial da Saúde deu em nota neste domingo, 22 de maio, sobre as novas atualizações dos números de casos da Varíola do Macaco. São ao menos 12 países que totalizam 92 casos confirmados da doença.

-Publicidade-

Essa doença é rara e provocada pro um vírus parecido ao da varíola, que está erradicada desde a década de 80. Até então, são 12 nações: Austrália, Bélgica, Canadá, França, Alemanha, Itália, Holanda, Portugal, Espanha, Suécia, Reino Unido e Estados Unidos.

Na Itália foram detectados 3 casos da doença, sendo 1 por conta de uma possível viagem para as Ilhas Canárias (Espanha), e os outros dois são ‘casos zero’ sem nenhuma ligação com viagem ou região que tinha algum caso.

“Com base nas informações atualmente disponíveis, os casos foram identificados principalmente, mas não exclusivamente, entre homens que fazem sexo com homens” deu a OMS na nota.

A varíola do macaco é considerada doença rara e são 92 casos em 12 países
A varíola do macaco é considerada doença rara e são 92 casos em 12 países (Foto: Getty Images)

A OMS ainda disse que, a situação vai ‘evoluir’ conforme a maior vigilância sanitária nos países, “Ações imediatas focam em informar aqueles que podem estar em maior risco de infecção com informações precisas, a fim de impedir uma maior disseminação”.

“as evidências atuais disponíveis sugerem que aqueles que estão em maior risco são aqueles que tiveram contato físico próximo com alguém com varíola de macaco enquanto eram sintomáticos. A OMS está trabalhando para fornecer orientações para proteger os profissionais de saúde da linha de frente e outros profissionais de saúde que possam estar em risco da infecção por varíola, como faxineiros” finalizou a Organização em nota.

Sobre a Varíola dos macacos

A doença é transmitida por via respiratória, no entanto, em alguns casos os contaminados são homens, gay ou bissexual, e os especialistas da área da saúde estão cogitando uma possível contaminação por via sexual. Mesmo com vários casos, os especialistas não veem o surto como motivo de preocupação.

Os primeiros sintomas apresentados nos casos são febre, dor no corpo, nas costas, dor de cabeça, exaustão, inchando nos linfonodos, calafrios e bolinhas que aparecem pelo corpo, principalmente na região do rosto, pés e mãos (elas viram crostas e caem).

Um dos principais sintomas do vírus é a erupção cutânea (Foto: Reprodução/ Domínio público via Wikipedia)