Gravidez

Estudo mostra que componente de inseticidas podem causar riscos em grávidas

Por enquanto os testes foram realizados apenas em animais

Letícia Vaneli

Letícia Vaneli ,filha de Alcides e Eugênia

(Foto: Shutterstock)

Um estudo realizado pela Universidade de Wisconsin-Madison, nos Estados Unidos, revelou que o uso de inseticidas pode aumentar os riscos de condição rara em bebês.

O produto possui como componente o butóxido de piperonil, conhecido também como PBO. Por enquanto, os teste foram realizados apenas em filhotes de camundongos, mas os cientistas afirmam que devem investigar o assunto.

“Não sabemos se a PBO está contribuindo para defeitos congênitos na população humana. Mas nosso estudo sugere que é necessário um exame mais rigoroso dos potenciais efeitos à saúde humana da PBO”, afirmou o professor Robert Lipinski, que lidera a pesquisa.

A condição que os filhotes nascidos dos camundongos, que receberam doses do componente químico, nasceram com ouriço sônico. Apesar do nome, as consequências são sérias porque é um tipo de tumor cerebral que causa anormalidades na face e comprometimento no desenvolvimento dos cérebros, pulmões e esqueleto dos bebês.

Leia também:

Pesquisa descobre que amamentar por mais tempo pode desenvolver alergias alimentares

Estudo comprova que estresse na gravidez prejudica cérebro do bebê

Absurdo! Estudo mostra que metais pesados estão em comidas para bebês nos EUA