Reversão de vasectomia dá certo? Entenda o que é, qual o valor e como recuperar a fertilidade

Apesar da vasectomia ser uma das cirurgias mais realizadas no mundo, existem também pacientes que querem voltar atrás e aumentar a família. Entenda como o procedimento é feito e tire as principais dúvidas sobre a reversão

Resumo da Notícia

  • Apenas no Brasil, é estimado que 35 mil procedimentos de vasectomia sejam feitos ao ano
  • Um dos principais motivos para a realização da reversão de vasectomia é a vontade de ter mais filhos após a cirurgia
  • O sucesso da reversão da vasectomia pode depender do tempo (em anos) que o procedimento foi realizado

A vasectomia é uma técnica cirúrgica considerada um método contraceptivo masculino definitivo, sendo uma das cirurgias mais realizadas no mundo inteiro. Só no Brasil, estima-se que quase 35 mil procedimentos sejam feitos todos os anos. Segundo os dados do Sistema único de Saúde (SUS), os números subiram 40,5% de 2009 para 2018.

-Publicidade-

De acordo com Marcos Sampaio, diretor e médico ginecologista da Clínica Origen de Medicina Reprodutiva, para a realização da cirurgia, segundo a lei de planejamento familiar nº 9263/1996, é necessário que o paciente tenha mais de 25 anos e, no mínimo, dois filhos vivos.

A vasectomia pode ser revertida, mas é preciso ficar de olho caso as expectativas da fertilidade não sejam atendidas (Foto: iStock)

Apesar de ser uma cirurgia de caráter definitivo, é possível realizar a reversão da vasectomia, como uma alternativa para ter mais filhos. Segundo a especialista em reprodução humana, Dra. Carla Iaconelli, mãe de Beatriz e Guilherme, é possível realizar o procedimento, mas pode depender do tempo de cirurgia e também da técnica utilizada.

O que é vasectomia? Qual o procedimento?

A cirurgia é simples e dura em torno de 20 minutos. De acordo com a médica, “é um método contraceptivo permanente, ou seja, é um procedimento que faz com que os espermatozoides não saiam no ejaculável. Com isso, o homem não consegue engravidar a mulher”, explica. No dia seguinte à cirurgia, os cuidados são: gelo local, analgésicos e repouso.

Como fazer reversão de vasectomia

Carla comenta que a técnica dificilmente é irreversível, mas alerta que quanto mais tempo houver de cirurgia, o resultado pode não ser como esperado. Para o novo procedimento, o canal diferente é religado com a ajuda de microscópios, pinças e outras técnicas usadas pelo médico cirurgião.

Antes do procedimento, é importante ainda que o paciente se prepare para o pré-operatório como em qualquer outra cirurgia. Por isso, o especialista irá indicar uma série de exames como, por exemplo, varicocele, hidrocele ou ainda para haver se existe algum tumor ou hérnia no testículo.

É possível que a reversão da vasectomia dê errado?

Sim. “Existe o risco de não funcionar, de após a cirurgia os espermatozoides não saírem e o homem não voltar a ser fértil“, comenta Carla Iaconelli. Marcos completa ainda que: “Após 5 anos da cirurgia, a probabilidade de o homem engravidar a sua parceira começa a diminuir. Uma fibrose pode surgir no local, impedindo que o canal deferente seja reconectado, por exemplo”, explica.

Como saber se a cirurgia deu certo?

Apesar de ter a certeza se o procedimento deu certo só depois de dois meses, a mulher pode engravidar a partir da primeira relação sexual. Após a cirurgia de reversão da vasectomia, o recomendado é que o homem espere, pelo menos, uma semana para voltar a ter relações ou ainda até que os pontos caiam. Vale lembrar que a cirurgia não interfere no desempenho sexual do paciente.

E qual o principal motivo da reversão da vasectomia?

Geralmente, segundo a especialista, os homens que buscam a reversão da vasectomia se arrependem de terem feito o procedimento e querem ter mais filhos, seja pelo motivo de uma nova parceira, por exemplo, ou ainda porque decide continuar aumentando a família.

Como uma alternativa quando a reversão da vasectomia não funciona, o especialista pode indicar a Fertilização in Vitro para o casal (Foto: Getty Images)

Qual é o valor da reversão de vasectomia?

A reversão de vasectomia é mais comum de acontecer em clínicas privadas e, segundo dados do G1, os valores podem variar em torno de R$ 10 mil a R$ 15 mil. Pelo SUS, a cirurgia também pode ser realizada, mas o acesso é mais limitado e a fila de espera também é maior para a cirurgia.

A Fertilização in Vitro pode ser indicada

Quando a reversão de vasectomia não é atendida, o médico especialista pode indicar a Fertilização in Vitro (FIV) como alternativa de aumentar a família. Para a realização da FIV, a mulher passa por uma estimulação ovariana para desenvolver o maior número possível de óvulos. No dia da coleta dos óvulos, acontece também a de amostra seminal no homem.

No caso dos homens vasectomizados, é necessário realizar uma punção direto nos epidídimos ou testículos do paciente. Após a fase de coleta, o procedimento, que acontece em laboratório, insere os espermatozoides diretamente no óvulo, mesmo que o homem tenha um número pequeno de gametas. “Não é simplesmente reverter uma cirurgia no caso de fertilidade, nós temos que ver todos os aspectos no caso do casal. As vezes eles têm algum outro fator, como a idade da mulher, por exemplo, que não daria tempo de esperar os seis meses necessários para ver se cirurgia de laqueadura funcionou e a mesma coisa para a vasectomia. Então, muitas vezes, não existe esse tempo, então opta-se por fazer a Fertilização in Vitro”, comenta Carla.

Marcos completa que a técnica de FIV é indicada para os mais diferentes casos e de trazer diversas vantagens: “Além de ser a técnica de reprodução assistida que apresenta os percentuais mais altos de sucesso na gravidez, a FIV avançou consideravelmente nas últimas décadas e, hoje, permite o tratamento da infertilidade feminina provocada por diversas causas, como idade avançada, distúrbios de ovulação, endometriose ou mesmo infertilidade sem causa aparente”, conclui.

Para saber ainda mais sobre o assunto, assista ao vídeo: