Mais

Não se esqueça de você: “Quando uma mãe nasce, a mulher não pode morrer”

Você precisa ter um momento só seu e não viver sempre em função dos outros!

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: iStock)

(Foto: iStock)

Fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo. Ver o dia passar e achar que não fez nada, ou sentir culpa por não ter dado conta de todas as tarefas. Não saber quando foi a última vez em que teve um tempo cem por cento sozinha. Você já viu esse filme, certo? Contudo, é preciso lembrar que só se é uma mãe inteira quando estamos bem com a gente mesma – quando somos mulheres inteiras. O caminho para uma mudança na sua casa é olhar para dentro de você.

De acordo com a psicóloga e terapeuta familiar Sylvia van Enck, mãe do Felipe, da Patrícia e avó do Thomas, a família funciona como um sistema, no qual o comportamento de cada pessoa reflete sobre o comportamento dos demais e é também resultante das interações entre seus membros. “Se considerarmos que a mãe em geral representa o ‘porto seguro’ da família, o eixo, se ela estiver bem como indivíduo, as dificuldades em casa se tornam mais fáceis de ser resolvidas”, explica a especialista.

Quando você não se valoriza, perde seu poder de tornar o ambiente melhor. Para isso, é necessário gerenciar seu tempo com sabedoria, estabelecer seus limites, ser dona da sua palavra e assumir seus erros. E mais: não se culpar tanto pelas falhas. Afinal, como a gente sempre diz aqui, mãe também é gente!

Dona do seu tempo

Quantas vezes você já chegou em casa com a sensação de que não fez nada durante o dia, apesar de ter feito um monte de coisas? Isso acontece porque a maioria dessas atividades não tem significado para você: não foram escolhas conscientes, não te ajudam a seguir seu caminho. Encontrar as suas verdadeiras prioridades, focar nelas e administrar as tarefas diárias fazem com que seu dia fique mais organizado e você encontre tempo para cuidar de si mesma e de quem ama.

“Vivemos dizendo que não temos tempo. Todos nós temos 24 horas por dia, mas nem todas as pessoas conseguem gerenciar suas prioridades”, afirma Ana Raia, coach do programa You in Action, voltado especialmente para mulheres. E continua: “Precisamos fortalecer a ideia de que ao fazermos uma coisa de cada vez, com presença, fazemos melhor. Vivemos a era da ansiedade; a pessoa vive no futuro e acaba perdendo o presente. A mulher deve deixar de querer estar sempre ocupada”, pondera.

Existem diversos métodos para organizar suas atividades diárias: usar aplicativos de celular, uma agenda de papel ou até mesmo criar um planner, um caderno customizado com suas tarefas e inspirações. O importante é encontrar o que funciona melhor para você e colocar a organização em prática!

Você com você

Dentro dessa agenda não pode faltar um tempo para você. Separe sempre um momento em que esteja apenas consigo mesma, sozinha e sem celular – afinal, por que nos conectamos com tantas pessoas, mas não separamos um momento para nos conectarmos conosco?

Ana Raia também fala sobre o conceito de autocuidado – que não deve ser confundido com egoísmo. “A mulher se sente culpada de separar um tempo só para ela, sente que precisa estar o tempo todo disponível. A mulher precisa ter o momento dela com ela mesma, não viver para atender os outros. O autocuidado é o melhor caminho para que ela exerça todos os seus papéis com excelência”, diz a coach. Marrie Ometto, do blog Mamãe Plugada e mãe da Clara, concorda: “Quando uma mãe nasce, a mulher não pode morrer. Não é fácil, e sei que entre as brechas do combo maternidade-cachorros-casa-organização-lancheira-almoço-trabalho-marido perder-se de si mesma é a coisa mais fácil de acontecer. É preciso não só pensar no quanto é importante amar-se e cuidar- se, mesmo diante dessa rotina insana, mas no quanto você estar bem consigo mesma te dá mais equilíbrio a longo prazo para que tudo flua mais levemente. Premissa básica para amar alguém é – antes de mais nada – se amar”.

Esse autocuidado pode ser tanto interno quanto externo. Uma pesquisa da GFK Brasil, importante instituição de pesquisa de mercado e consumo, revelou que as brasileiras dedicam cinco horas por semana em média para cuidar da beleza. É muito pouco, e é um prazer que é só seu – estar bonita para si mesma, e não para os outros, é estar bem consigo mesma. Cuide-se!

*Por Carolina Porne, filha de Sandra e Rubens

Leia também: 

Mãe também é gente! Arrume um tempo para cuidar do seu cabelo, sim!

Mãe também é gente! Veja dicas para não esquecer do casamento depois da chegada dos filhos

Mãe também é gente: 5 motivos para você sair com suas amigas

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não