Saúde

Calendário de vacinação do bebê: conheça todas as vacinas que seu filho deve tomar

Fique de olho no calendário e mantenha a carteirinha em dia!

Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

Desde que nasce, o bebê vai passar por vários exames e começar a batelada de vacinas – nos primeiros anos serão muitas mesmo! E não pode bobear com a vacinação. Fique de olho no calendário e mantenha a carteirinha em dia.

Fique de olho no calendário e mantenha a carteirinha em dia (Foto: Getty Images)

Exames

✓ Apgar

Com um minuto de vida, o recém-nascido é examinado pela primeira vez. O pediatra na sala de parto observa e anota informações sobre a sua frequência cardíaca, o padrão respiratório e os reflexos, entre outros, e dá uma nota de 0 a 10. Com cinco minutos de vida, tudo isso é medido de novo, chegando-se a uma segunda nota.

✓ Teste do pezinho

Nas primeiras 48 horas de vida, é feito o teste do pezinho, que serve para diagnosticar várias doenças através de gotinhas de sangue do bebê. O teste básico é feito em todas as crianças e é gratuito.

✓ Teste do olhinho

Feito logo após o nascimento, serve para diagnosticar catarata e condições tumorais. Com uma luz apontada para o olho do bebê, o médico verá o reflexo vermelho. Se esse reflexo tiver alguma alteração, o bebê é encaminhado para um oftalmologista.

✓ Teste do coraçãozinho

Entre 24 e 48 horas de vida, é feita uma oximetria, que mede a saturação do oxigênio no sangue por uma espécie de pulseira. Se estiver alterada, o médico solicita um ecocardiograma para detectar problemas cardíacos. Todos os bebês passam por essa triagem e o teste é obrigatório no SUS.

✓ Teste da orelhinha

Feito no primeiro mês de vida, é realizado por um fonoaudiólogo. Um fone de ouvido é colocado no bebê e gera estímulos sonoros que mostram como o recém-nascido reage aos sons. Este procedimento é obrigatório no SUS.

✓ Teste da linguinha

Faz parte dos exames realizados na maternidade e serve para ver se a língua do recém-nascido está solta ou presa. Se o médico achar que está presa, pode avaliar a necessidade de um procedimento para soltar. A cirurgia é indicada quando esse problema afetar a amamentação.

Vacinas

Assim que nasce

✓ BCG (Bacilo Calmette-Guerin)

É aquela que deixa uma marquinha no braço que todo mundo tem. Ela previne as formas graves de tuberculose.

✓ Hepatite B

A primeira dose é feita na maternidade. Ela previne a hepatite B por transmissão vertical – da mãe – e por contaminação no futuro.

Aos 2 meses

✓ Pentavalente

Essa vacina, oferecida no SUS, é diferente da que é usada nas clínicas particulares de vacinação. A Pentavalente previne difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite e infecções por HiB. Esta é a 1ª dose.

✓ Hexavalente

É essa que é oferecida nas clínicas particulares em substituição à Penta. Ela previne difteria, tétano, coqueluche – DTP acelular -, hepatite B, poliomielite e infecções por HiB. Causa menos reações do que a vacina oferecida na rede pública.

✓ Vacina Inativada Poliomielite (VIP)

Disponível nos postos de saúde, esta é a primeira dose da vacina que previne poliomielite ou paralisia infantil. Se o bebê receber a vacina Hexavalente em uma clínica particular, já estará protegido contra a Poliomielite.

✓ Pneumocócica 10 Valente

Previne pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo. Esta é a 1ª dose. Pode ser substituída pela Pneumocócica 13 Valente, oferecida nas clínicas privadas, mais completa que a Pneumocócica 10 Valente.

✓ Rotavírus

Esta é a primeira dose da vacina, que previne diarreia por rotavírus.

Aos 3 meses

✓ Meningocócica C

Primeira dose da vacina que previne doença meningocócica C. Pode ser substituída pela Meningocócica ACWY, oferecida agora também na rede pública. 

✓ Meningocócica ACWY

A ACWY protege contra a bactéria meningococo dos tipos A, C, W e Y, por isso é mais completa que a C.

Meningocócica B

Oferecida apenas nas clínicas particulares. Aos 3 meses, o bebê recebe a 1ª dose.

Aos 4 meses

✓ Pentavalente

Esta é segunda dose daquela vacina que foi dada aos 2 meses. Previne difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e infecções por Haemóphilus influenzae tipo B. Nas clínicas particulares, é substituída por outra vacina Pentavalente, que previne difteria, tétano, coqueluche, poliomielite VIP e infecções por HiB, que é chamada de acelular e causa menos reações do que a vacina oferecida na rede pública.

✓ Vacina Inativada Poliomielite (VIP)

Segunda dose da vacina que previne a poliomielite ou paralisia infantil. Quem tomou a vacina Pentavalente da rede particular, já recebeu a segunda dose da vacina de poliomielite.

✓ Pneumocócica 10 Valente

Previne pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo. Esta é a segunda dose. Nas clínicas particulares, essa vacina é substituída pela Pneumocócica 13 Valente, mais completa do que a 10 Valente.

✓ Rotavírus

Previne diarreia por rotavírus – 2ª dose.

Aos 5 meses

✓ Meningocócica C

Segunda dose da vacina. Pode ser substituída pela Meningocócica ACWY, oferecida agora também na rede pública. 

✓ Meningocócica ACWY

Protege contra a bactéria meningococo dos tipos A, C, W e Y, por isso é mais completa que a Meningocócica C, da rede pública.

✓ Meningocócica B

Segunda dose dessa vacina, oferecida nas clínicas particulares.

Aos 6 meses

✓ Pentavalente

Previne difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite e infecções por HiB – 3ª dose. Nas clínicas particulares, é substituída pela Hexavalente, que previne difteria, tétano, coqueluche, hepatite B, poliomielite e infecções por HiB. Causa menos reações do que a vacina da rede pública.

✓ Vacina Inativada Poliomielite (VIP)

Terceira dose da vacina que previne poliomielite. Se o bebê receber a vacina Hexavalente em uma clínica particular, já estará protegido contra a Poliomielite.

✓ Pneumocócica 10 Valente

Esta é a terceira dose dessa vacina que previne as doenças causadas pelo Pneumococo. Pode ser substituída pela Pneumocócica 13 Valente, oferecida nas clínicas privadas, mais completa que a Pneumocócica 10 Valente.

✓ Rotavírus

Segunda dose da vacina que previne diarreia por rotavírus.

✓ Influenza

A vacina contra a gripe é dada em épocas de maior incidência da doença. Na primeira vez que a criança recebe a vacina deverá tomar a segunda dose um mês após a primeira dose. Depois, uma vez por ano.

✓ Meningocócica C

Reforço da vacina que previne a doença.

✓ Varicela (catapora)

Apenas nas clínicas particulares, em alguns lugares, ela já é associada à vacina Tríplice Viral. Esta é a primeira dose.

✓ Hepatite A

Primeira dose da vacina que previne a doença. Aos 15 meses

✓ DTP

Primeiro reforço da vacina que previne difteria, tétano e coqueluche. Nas clínicas particulares, é aplicado reforço da Pentavalente (previne difteria, tétano, coqueluche – DTP acelular -, poliomielite e infecções por HiB).

✓ Vacina Oral Poliomielite (VOP)

Primeiro reforço. Caso tenha sido aplicado o reforço da Pentavalente, já está protegida contra a Pólio.

✓ Pneumocócica 13 Valente

Reforço, pode ser oferecida dos 15 aos 18 meses, apenas nas clínicas particulares. Quem toma no sistema público de saúde recebe o reforço aos 12 meses com a Pneumocócica 10 Valente.

✓ Tetra viral ou tríplice viral + varicela

Reforço da vacina que previne sarampo, rubéola, caxumba e varicela/catapora.

Aos 18 meses

✓ Hepatite A 

Segunda dose da vacina que previne a doença.

Leia também:

Vacinar é a melhor forma de combater as doenças: entenda a importância de proteger sua família

Vacinação infantil tem menor índice dos últimos 16 anos. Mas você sabe o porquê?

Doenças de outono: conheça os principais sintomas e saiba como proteger seu filho