Saúde

Mãe tem caso grave de mastite depois de negligência médica e faz desabafo: “Fiquei horrorizada”

Karen é mãe de Nicolly Emanuelly, de apenas 1 mês

Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

Um relato de uma mãe da cidade de Penápolis, no interior de São Paulo, vem causando comoção no Facebook. Karen, mãe de Nicolly Emanuelly, de apenas 1 mês, escreveu um texto na rede social desabafando sobre o caso de negligência médica que sofreu. “Tenho uma filha de 1 mês e 10 dias, estava amamentando ela no peito, mas como estava tendo muito leite e ela não estava dando conta, meu leite empedrou. Tentei tirar tirar de todas as formas que médicos, amigas e familiares me ensinaram e não consegui”, escreveu Karen na publicação que já soma quase 60 mil compartilhamentos.

(Foto: Reprodução/Facebook)

Com muita dor, a mãe foi até o pronto socorro com a intenção de ser enviada ao banco de leite da cidade para buscar ajuda. “Nem para isso eles prestaram. Somente me passavam medicamentos para tomar lá e passar e dor, que já me liberavam. Todos os dias foi sendo assim”. Karen relata que sua dor começou a piorar e a área ao redor de seu seio já estava avermelhada. “Não suportava nem relar e muito menos mexer o braço. Nem minha filha eu conseguia pegar no colo”.

(Foto: Reprodução/Facebook)

A mãe foi enviada à maternidade para consulta com o ginecologista obstetra e descobriu que estava com mastite. “Como sempre, nada foi resolvido e somente me passaram antibióticos. Cada vez que eu ia lá, era um antibiótico diferente que me passavam. Os obstetras pediram para eu continuar amamentando, pois resolvi parar, já que minha filha não é obrigada a mamar leite com pus, além de eu estar tomando tês tipos de antibióticos fortíssimos”, desabafou.

(Foto: Reprodução/Facebook)

Segundo o relato, Karen foi ao pronto socorro na última quarta-feira (20) e foi encaminhada à Santa Casa de Penápolis para uma consulta com o obstetra. “Cheguei lá e fiquei esperando 1h30 para ser atendida. O Dr. me examinou e falou que meu peito teria que ser drenado, pois já estava com 50% de infecção e se eu não cuidasse, viraria câncer.

O médico teria feito a drenagem sem nenhuma anestesia. “Na sexta, fui fazer um curativo no posto de saúde, e quando vi meu peito, fiquei horrorizada. Se foi feito drenagem, era para estar 90% melhor do que estava. Não estou aguentando de dor e ninguém está fazendo exatamente nada. Quando vou ao pronto socorro, só me passam medicamentos para tomar e já me liberam. Não estou aguentando mais”, finalizou.

Confira o relato completo de Karen:

(Foto: Reprodução/Facebook)

Como tratar a mastite?

A mastite é um processo inflamatório da mama que pode tornar-se infeccioso. Qualquer situação que cause o acúmulo de leite como mamadas menos frequentes (caso de introdução alimentar ou o bebê dormir por mais tempo, por exemplo), fissuras mamilares, chupetas, mamadeiras, esvaziamento inadequado das mamas, freio de língua curto, desmame abrupto, produção excessiva, sucção débil, uso de conchas, sutiã inadequado, amamentar com dedos em tesoura…

A sensação pode ser local no início, com vermelhidão, calor, inchaço, sensibilidade aumentada e endurecimento. Mas pode evoluir para mal-estar geral, febre alta, calafrios, náuseas, dores musculares, taquicardia.

Qualquer que seja o sintoma mesmo que incerto, procure um profissional. Quanto antes a avaliação e início do tratamento, melhor o desfecho. Para evitar, a dica é ter a boa pega e posicionamento, amamentar em livre demanda, procurar esvaziar a mama evitando ingurgitamento, cuidados e tratamentos adequados para fissuras mamilares ou ductos obstruídos, e sempre realizar o autoexame da mama, ficar de olho nas áreas avermelhadas, doloridas ou sensíveis. O tratamento varia de acordo com o caso, mas em geral são indicados analgésicos, anti-inflamatórios e antibióticos em associação com adequado manejo da amamentação.

Leia também:

Absurdo: vídeo mostra médico agredindo mulher grávida durante trabalho de parto

Mãe com bebê de colo e filho doentes tem consulta negada por médica: “Não atendo gente mal educada”

Mastite: tudo que você precisa saber para evitar