Bebês

Andressa Suíta publica texto emocionante sobre amamentação: “Me senti incapaz”

Na Semana Mundial do Aleitamento Materno também é importante lembrar das dificuldades que você enfrenta para amamentar

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Reprodução / Instagram @andressasuita)

(Foto: Reprodução / Instagram @andressasuita)

O segundo filho de Andressa Suita e Gusttavo Lima, Samuel, nasceu no último dia 24 de julho. Já que estamos na Semana Mundial do Aleitamento Materno, a modelo e atriz resolveu publicar uma foto alimentando o filho para contar como foi a sua experiência com a amamentação.

Andressa revelou que não foi nada fácil, com o primeiro filho, Gabriel, ela disse que se perdeu. “A produção (de leite) diminuiu e, aos três meses de vida dele, foi impossível continuar. Me frustrei. Me senti incapaz“, escreveu a mãe. Ela compartilhou que chegou a duvidar da própria habilidade de ser mãe. Porém teve a chance de fazer tudo de novo com o segundo bebê. “Fui abençoada ao ponto de reviver a gravidez, gestar de maneira saudável, parir bem assistida e, agora, amamentar”, comentou a atriz. Leia o depoimento completo:

As pessoas mais próximas a mim sabem que me entrego inteira a todas as experiências que se apresentam na minha vida. Quando engravidei pela primeira vez, me senti maravilhosa e aceitei toda a força da natureza fluindo no meu corpo, dos primeiros movimentos do Gabriel ao parto e, sobre amamentar, não seria diferente. Mergulhei no meu puerpério para fazer cada gota de leite valer a pena. Como tantas mulheres, mãe de primeira viagem, eu desejava muito dar de mamar. Primeiro veio a pega, depois a descida do leite (e eu sempre tenho bastante, graças a Deus), os mamilos machucados e uma cirurgia no Gabriel para cortar o freio da língua. Noites mal dormidas, cansaço e uma cobrança pessoal: tinha que dar certo! Contratei várias pessoas para me ajudar, ouvia muitas outras, me cansei beirando a exaustão. Me perdi. A produção diminuiu e, aos três meses de vida dele, foi impossível continuar. Me frustrei. Me senti incapaz. Duvidei da minha habilidade de ser mãe. Mas fui abençoada ao ponto de poder reviver tudo de novo, gestar de maneira saudável, parir bem assistida e, agora, amamentar. Vivi com muito mais tranquilidade a descida do leite dessa vez, os mamilos machucaram novamente sim mas percebo a melhora aos poucos e o Samuel também fez a cirurgia para cortar o freio. Mas agora vivo um momento por vez. Me permito esvaziar por completo, a começar pela casa: somos eu, minha mãe e meu marido cuidando dos meninos. Dou peito quando o Samuel pede. Ordenho o excesso e armazeno. Me livrei da culpa e me dei conta de que muita gente sabe muito sobre crianças, mas que dos meus filhos eu sei mais. Sou uma leoa! Sou a mãe que posso ser e a melhor mãe para os meus filhos. Revivo a Semana Mundial da Amamentação pela segunda vez seguida reconhecendo a importância do leite materno, feliz com o sentimento indescritível de ter meu bebê aninhadinho no colo. A beleza de tudo isso é divina e digo: estou tentando, entregue e de peito aberto, mais uma vez.

Uma publicação compartilhada por Andressa Suita (@andressasuita) em

A metade do meu coração ❣ #Samuel #maededois ?‍?‍?#maternidadereal

Uma publicação compartilhada por Andressa Suita (@andressasuita) em

 

8 passos para te ajudar na amamentação

Amamentar é algo que não depende somente do nosso corpo, mas a mente também tem papel importante nesse processo. Sabe aquela sua amiga que vive te falando sobre como foi difícil ter leite para alimentar o próprio bebê? Pode parecer algo inofensivo, mas é algo que fica no seu inconsciente e, futuramente, pode gerar um estresse emocional, por você achar que passa pelo mesmo problema.

Cema Santos, mãe de Luis é Master Coach e Trainer in Time Line Therapy® (TLT®) e Programação Neurolinguística. Conversamos com ela para entender melhor como as mães que não conseguem amamentar podem fazer para que a ansiedade e a angústia não virem uma bola de neve.

1)  A primeira coisa é se perguntar com toda honestidade “o que eu que quero?”. Depois, questione: “ Quando estiver amamentando meu bebê, vou estar 100% feliz?”. Tenha em mente que isso é algo que você deve querer e não fazer somente para satisfazer a vontade de outras pessoas.

2) A partir das respostas anteriores, caso as mesmas sejam positivas, a mulher deve então acreditar 100% que ela pode amamentar (todas nós podemos!). Calma!

3) Evite ficar ouvindo ou lendo histórias de falhas, de mulheres que não conseguiram amamentar por qualquer razão que seja… Filtre suas informações e foque no que você quer!

4) Visualize-se dando de mamar para o seu bebê, sinta a emoção da plenitude, repare na carinha de satisfação dele, o amor envolvido em todo esse processo. Permita-se!

5) Amamente em um lugar tranquilo e sereno, onde você e o bebê possam relaxar. Evite ter televisão ligada sob qualquer hipótese. Deixe o celular de lado e dedique-se ao momento, evite pessoas conversando ao seu redor enquanto você dá de mamar. Uma música tranquila e relaxante ajuda muito.

6) Deixe toda e qualquer preocupação fora da equação no momento da amamentação. Concentre-se no “fornecimento” do seu leite, veja-o como  abundante, como alimento sagrado para o seu bebê, o qual só você pode produzir, um leite de altíssima qualidade que satisfaz seu bebe a qualquer momento.

7) Se precisar usar a bombinha extratora um pouco antes de começar a dar de mamar, use-a sem culpa e relaxe enquanto faz isso, visualizando seu leite jorrando.

8) Agradeça a oportunidade de ser mãe e poder amamentar seu bebê (sempre e toda vez que for amamentá-lo)!

Cema Santos desenvolve um trabalho de apoio a grávidas desde sua vivência em Manaus, onde se especializou em obstetrícia e montou uma clínica de hidroterapia com aulas voltadas somente a elas (a primeira do Brasil nesses moldes). Na Austrália, a partir do conhecimento da Time Line Therapy®, também teve oportunidade de ajudar mães com extrema dificuldade de amamentação.

Leia também:

Dor na amamentação: 4 dicas para evitar o desconforto

Pega correta: 4 coisas que você precisa saber antes de amamentar

Fernanda Gentil desabafa: “Você não é menos mãe por não conseguir amamentar”