Saúde bucal do bebê: quando levar ao dentista pela 1ª vez, como escovar os dentes e cuidados

É comum surgirem dúvidas de como deve ser a higiene da boca durante a infância, principalmente para os pais de primeira viagem. Por isso, conversamos com Thelma Parada, odontopediatra, que respondeu 12 perguntas essenciais sobre essa rotina que precisa começar desde cedo

Resumo da Notícia

  • A primeira visita ao dentista, deve começar pela mãe ainda na gravidez
  • Para escovar os dentes sozinhas, as crianças devem ter uma boa letra cursiva por causa da coordenação motora
  • O odontopediatra tem um papel fundamental em criar vínculos tanto com a família, como com a criança

Mesmo na gravidez, a mãe já pode visitar o dentista para receber dicas valiosas sobre os cuidados com o bebê. Mas, é quando nascem os primeiros dentes que tudo, de fato, começa. Para evitar problemas bucais, esse acompanhamento é essencial desde cedo, além de criar um vínculo entre o profissional, a família e a criança.

-Publicidade-

Principalmente para os pais de primeira viagem, é comum surgirem dúvidas sobre quando se deve levar a criança ao dentista, como escovar os dentes da forma certa ou, até mesmo, como lidar com a troca dos dentes de leite. Em uma conversa com a odontopediatra, professora universitária de graduação, pós-graduação e palestrante, Thelma Parada, mãe de Guilhermina, esclarecemos tudo o que você precisa saber nesse primeiro contato com o profissional. Olha só:

A primeira visita ao dentista deve acontecer mesmo antes de nascimento (Foto: iStock)

Quando devo levar a criança ao dentista pela primeira vez

A especialista explica que o ideal é levar o mais cedo possível, mesmo durante a vida intrauterina, ou seja, antes do bebê nascer. Dessa maneira, a mãe já se prepara para receber informações importantes sobre os primeiros passos. Mas, caso essa visita não aconteça, a criança pode ser levada ao odontopediatra por volta dos três meses de vida, ou ainda, quando nascerem os primeiros dentes.

Bebê com mau hálito. Preciso levar ao dentista?

Depende. Geralmente, não é necessário, mas vale ficar de olho no que pode estar causando o problema. “É preciso identificar de onde vem esse mau hálito, se é do leite que a criança tomou de madrugada, se é o leite materno, fórmula, o que a criança está comendo. Tem muitos alimentos que ficam parados na boca da criança formando uma saburra lingual, (uma substância esbranquiçada na língua) e isso gera um mau hálito”, explica Thelma.

Mas,  a odontopediatra recomenda não fazer uma grande higiene na língua. “Pode-se fazer a higiene com uma gaze úmida em caso de mau hálito, mas tomar muito cuidado com o que a criança está se alimentando, porque as vezes ela já está comendo alimentos salgados e isso pode ser em função dos temperos”, alerta.

O papel do odontopediatra

O odontopediatra tem uma função fundamental nos cuidados com as crianças por lidar diretamente com esta faixa etária. “Quando você leva a criança ao odontopediatra, eu gosto de fazer um paralelo de quando você leva ao pediatra, por exemplo. Só de bater o olho, ele já sabe aquele diagnóstico, assim como odontopediatra”, comenta Thelma.

Além disso, a especialista reforça que o consultório possui uma dinâmica específica para essa faixa etária. “A criança percebe que o ambiente é voltado para ela e o próprio profissional já sabe lidar também com a família, fazendo uma abordagem mais lúdica, mas claro, sem deixar de ser ciência!”.

É possível ter cáries nos dentes de leite?

Sim, é possível. Mas vale lembrar que as cáries acontecem apenas quando nascem os dentes, não vindo assim junto com eles no nascimento. O problema é bastante comum segundo a odontopediatra, pois muitos pais tem dó de escovar os dentes dos bebês. “Esse dente recém erupcionado ainda não está completamente mineralizado, pois esse processo termina apenas dentro da cavidade oral. Então, quando as cáries aparecem, é preciso levar ao dentista para tratar. O dente não nasce com cárie, o que acontece é que ele não foi escovado, ocasionando o problema.

O dentista pode orientar sobre a alimentação do bebê?

Pode, mas sempre de maneira geral. Thelma explica que é importante os profissionais fazerem as recomendações, mas que eles não estão sendo procurados para isso. “Um dos grandes equívocos que eu percebo é quando o dentista é procurado por um assunto e ele responde outro, perdendo esse conexão com os pais e a criança”, alerta a odontopediatra.

Por isso, a especialista alerta que os profissionais sempre escutem o que os pais estão procurando e quais são as dores que devem ser resolvidas. “Depois que se cria um vínculo, o dentista pode começar a estabelecer recomendações sobre aquela alimentação, mas caso ele perceba uma coisa muito atípica da sua realidade e competência, é preciso passar para o nutricionista”.

Como saber se os dentes estão incomodando o bebê

Geralmente, quando os dentes começam a nascer, principalmente os de leite, a criança pode apresentar episódios febris, de diarreia, prejudicar o sono, ou até mesmo ficar sem apetite. Mas, quando essa situação passar de um dia e estiver entrando no segundo, é importante que a família leve o filho ao dentista. Nos casos em que os pais já levaram a criança em consultas anteriores, Thelma explica que já estão preparados para a situação e, caso haja um vínculo, é possível a recomendação de uma consulta online, por exemplo.

A higiene bucal do bebê deve começar a partir do nascimento dos primeiros dentes (Foto: iStock)

“Mas, se a criança estiver aflita, dormindo mal e não se alimentando, é importante levar ao dentista para ver a necessidade, ou seja, tamanho desse incômodo. A recomendação geral é que quando estiver nascendo os dentinhos, a criança coma alimentos mais frios ou uma água mais gelada, porque já alivia bastante o incômodo. Ou, é possível também utilizar uma escova de dente molhada em água gelada e até mesmo um mordedor ou um brinquedinho que a criança ponha e esteja mais fresco”, orienta a especialista.

Como escovar os dentes do bebê

A escovação deve acontecer a partir do nascimento do primeiro dente. Para isso, Thelma reforça que existe um jeito certo e que a recomendação é superimportante para o cuidado com a saúde bucal. Por isso, os pais devem seguir o passo a passo: use movimentos circulares, de bolinha, ou vai e vem, para a frente e para traz, em todas as faces do dente. Para facilitar o processo, faça isso após o banho ou quando o bebê estiver deitado no trocador, pois a posição vertical pode dificultar a higiene correta.

Bebês e crianças podem usar fio dental?

Depende. A odontopediatra explica que algumas crianças já nascem com os dentes bastante juntos, então, nestes casos o uso do fio dental pode ser recomendado. Caso a dentição seja mais separada, a escovação correta é fundamental para manter a higiene bucal sempre em dia e evitar problemas como as cáries.

Como higienizar a boca do bebê se ele estiver na fase de amamentação exclusiva

Neste período, a recomendação é limpar apenas a parte externa da boca do bebê, ou seja, o entorno dela. “Limpe os lábios e cantinho da boca, evitando higienizar dentro dela durante a amamentação exclusiva”, explica Thelma. Mas, se mesmo assim os pais quiserem fazer a limpeza, devem usar apenas uma gaze úmida na gengiva e língua, sempre com movimentos suaves e sem esfregar.

A criança pode usar qualquer pasta de dente?

Em um primeiro momento, Thelma explica que a pasta de dente com flúor é essencial, mas deve ser usada na presença de um adulto para auxiliar a escovação. “Quando os pais querem dar autonomia para uma criança de um ano e meio, dois ou três, é muito difícil que ela tenha coordenação motora para colocar apenas meio grão de arroz, quanto a quantidade de pasta”. Em casos como esse, utilize a pasta de dente sem flúor.

Mas, é superimportante lembrar que a consulta com um odontopediatra deve sempre prevalecer na decisão. “O que irá predominar é a recomendação do profissional em que a criança está passando, pois é ele que irá saber individualmente daquele caso”.

Quando a criança pode escovar os dentes sozinha?

Thelma Parada recomenda que os adultos escovem os dentes dos filhos, pela criança, até aproximadamente os dez anos de idade, ou até que a letra cursiva dela seja corrida e fluente. Apesar de parecer algo bastante diferente, a odontopediatra explica o motivo: “Enquanto a criança tiver dificuldade de escrever, ela irá ter em escovar os dentes. Isso acontece porque ela ainda não tem coordenação motora, desenvolvimento e maturação neuromuscular para fazer a higiene muito bem feita”. Por isso, o apoio da família é essencial durante esta fase para prevenir problemas bucais.

Má higiene bucal pode causar problemas de saúde?

Sim, pois pode estar relacionado com a saúde geral fatores como: perda de peso, falta de apetite, não querer comer por causa de dores agudas no dente, celulite facial, infecções, amigdalites de repetição e, apesar de raro, a endocardite bacteriana, uma doença causada no coração. Por isso, se a criança apresentar algum tipo de alteração, não hesite em procurar um especialista para avaliar a situação.