Criança

5 dicas para melhorar a alimentação do seu filho sem pirar

Separamos os alimentos mais importantes para você montar pratos bem legais

Nathalia Lopes

Nathalia Lopes ,Filha de Márcia e Toninho

Separamos algumas dicas e os alimentos mais importantes para dieta do seu filho (Foto: Getty Images)

A obesidade infantil está aumentando e os números revelam que as crianças têm se alimentado muito com fast foods e super processados que são altos em calorias e pobres em vitaminas e mineiras. Estudos recentes mostram os cinco nutrientes que estão ficando em déficit na alimentação das crianças.

Cálcio, Vitamina E, Fibras, Potássio e Ferro estão sendo cada vez menos encontrados nos cardápios infantis e a gente te mostra alguns alimentos que são fonte desses nutrientes e algumas dicas para obter resultados bem legais.

Cálcio

Cerca de um terço das crianças de 4 a 8 anos não está recebendo cálcio suficiente, de acordo com as últimas estatísticas do governo. Muito suco e pouco leite. O cálcio é vital para o desenvolvimento da massa óssea, quase toda construída durante a infância e a adolescência.

Ser deficiente pode interferir no crescimento e aumentar o risco de osteoporose mais tarde na vida – especialmente para as meninas. Muitos alimentos ricos em cálcio também são ricos em vitamina D, que não apenas fortalece os ossos, mas também ajuda a prevenir o diabetes tipo 1 e outras doenças.

A médica e autora de livros sobre alimentação infantil, Jennifer Shu, dá algumas dicas: “Se seu bebê tiver dificuldade em fazer a transição do leite materno ou leite em pó para a vaca aos 1 anos, continue tentando enquanto ele fica mais velho. “Os pais muitas vezes desistem muito rapidamente quando seus filhos o rejeitam.”

Os alimentos ricos em cálcio são:

  •  queijo
  •  iogurte
  •  leite
  • alimentos fortificados como cereais
  • waffles
  • suco
  •  leite de soja

Vitamina E

80% das crianças com menos de 8 anos, incluindo dois terços dos pré-escolares, estão perdendo suas necessidades diárias de vitamina E, de acordo com estudos da Universidade de Nebraska-Lincoln. Um culpado surpreendente: alimentos sem gordura e com baixo teor de gordura, que tendem a ser baixos em vitamina E, uma vitamina que age como um antioxidante, protegendo as células contra danos.

A conselheira de pais, Connie Diekman, diretora de nutrição universitária da Universidade de Washington, em St. Louis fala: É inteligente servir produtos com baixo teor de gordura, como leite e iogurte, porque eles são mais baixos em gordura saturada, mas ficar livre de gordura não é melhor para coisas como salada, que contém óleos saudáveis ​​que são ricos em vitamina E.

Muitos cereais são enriquecidos com vitamina E, mas verifique o Painel de Informações Nutricionais para ter certeza. Tenha em mente que os cereais rotulados como “naturais” não terão vitaminas e minerais adicionados.

Alguns pais evitam a manteiga de amendoim por medo de alergias a nozes, mas as últimas diretrizes da Academia Americana de Pediatria dizem que não há evidências de que a suspensão da manteiga de amendoim previna alergias. Para as crianças que são alérgicas, tente trocar em 2 colheres de sopa de manteiga de girassol.

Escolha temperar as saladas com óleos como canola, milho ou azeitona, você pode também adicionar sementes de girassol ou lascas de amêndoa torradas em cima de saladas, bem como legumes cozidos no vapor.

Melhores fontes:

  • abacate
  •  nozes
  • manteiga de amendoim
  • sementes de girassol
  •  óleos vegetais
  • molho de tomate
  • espinafre

Fibra

As fibras nem sequer são digeridas, mas ainda são importantes para as crianças porque as mantém saciadas. Além disso, comer uma dieta rica em fibras pode ajudar a protegê-los de uma variedade de doenças crônicas mais tarde na vida.

Embora a recomendação oficial seja que as crianças comem de 19 a 25 gramas de fibra por dia (quase tanto quanto um adulto precisa), um objetivo mais realista é seguir a “regra de cinco”: adicionar cinco gramas à idade do seu filho para obter o mínimo ideal por dia. Por exemplo, uma criança de 4 anos deve ingerir pelo menos 9 gramas de fibra por dia, essa é a quantidade em duas fatias de pão integral, meia xícara de morangos e meia xícara de arroz integral.

Sarah Krieger, porta-voz da American Dietetic Association diz que: “O cereal matinal é geralmente a melhor maneira de as crianças receberem uma grande dose de fibras.” É interessante misturar um pouco com o cereal favorito do seu filho para suavizar a transição e você também pode colocar e algumas frutas fatiadas por cima.

Alguns alimentos ricos em fibras:

  • frutas (framboesas, amoras, peras, laranjas e maçãs são algumas das melhores)
  • cereais ricos em fibras
  • feijão
  • lentilhas
  •  grão de bico
  • pão integral e massas
  • aveia
  • pipoca
  •  nozes
  •  semente de linhaça moída
  • batata doce
  • ervilhas verdes

Potássio

As crianças estão recebendo menos de 60% da dose recomendada de potássio, em parte porque muitas delas não têm frutas e vegetais suficientes em sua dieta. O potássio é um elemento-chave na manutenção do equilíbrio hídrico saudável e da pressão sanguínea, além de ajudar os músculos a se contraírem.

Você pode trocar as batatas fritas tradicionais por: batatas fritas de batata-doce. Corte as batatas doces em discos ou palitos, misture com azeite de oliva e asse até ficarem marrons e crocantes.

Melhores fontes

  • bananas
  • laranjas e suco de laranja
  •  batatas brancas e doces
  •  iogurte
  •  leite
  •  melão
  • damasco seco
  • tomate, molho de tomate
  • peixes como bacalhau

Ferro

Um estudo recente descobriu que até 20% das crianças de 1 a 3 anos não estão recebendo ferro suficiente. Baixo teor de ferro é especialmente comum entre crianças com excesso de peso, que podem ter uma dieta de alto teor calórico, mas pobre em nutrientes.

O ferro ajuda os glóbulos vermelhos a transportar oxigênio para as células por todo o corpo e desempenha um papel no desenvolvimento do cérebro. E um déficit crônico pode causar problemas de aprendizado e comportamento. Os médicos não sabem por que, mas ter baixos níveis de ferro também aumenta o risco de envenenamento por chumbo por parte das crianças, porque aumenta a absorção de chumbo na corrente sanguínea.

Os estoques de ferro dos bebês se esgotam após os primeiros seis meses, portanto, alimentos ricos em ferro são essenciais. “Ao contrário da crença popular, não há razão para poupar carne quando você começa a introdução alimentar no seu bebê.”, diz a Dra. Shu. Você pode dar-lhe purê ou papinhas de carne, peru e frango e depois você pode introduzir os pedaços.

Melhores fontes

  • Camarão
  •  Bife
  • Frango
  •  Feijão
  • Lentilhas
  • Grão de bico
  • Polpa de tomate
  •  Soja
  •  Passas
  • Pão  integral
  • Cereais fortificados frios e quentes (verificar rótulos)

Leia também: 

Como aumentar a imunidade com 20 alimentos 

13 alimentos proibidos para crianças de até dois anos

7 alimentos que espantam a tristeza e o mau-humor para fazer seu dia mais feliz