Estudo defende: crianças que amam dinossauros são mais inteligentes

A pesquisa foi feita pelas Universidades de Indiana e Wisconsin, nos Estados Unidos

Interesses intensos na infância ajudam no desenvolvimento da personalidade (Foto: Getty Images)

Se o seu filho tem entre 2 e 6 anos de idade e morre de amores por dinossauros, você já pode ficar feliz. Uma pesquisa feita pelas universidades de Indiana e Wisconsin, ambas dos Estados Unidos, mostram que o interesse por esses animais pré-históricos pode trazer muitos benefícios para o desenvolvimento da crianças.

-Publicidade-

De acordo com o site Hypeness, esse tipo de interesse, quando é intenso, especialmente os que precisam de um domínio do que é abstrato e conceitual, permitem que seu filho “eleve a perseverança, melhore a atenção e amplie as habilidades de pensamento complexo como o de processar informações”.

Um interesse intenso vai ajudar seu filho a resolver problemas no futuro (Foto: Getty Images)

Duas capacidades tendem a ser ampliadas: linguística e de compreensão. Os pesquisadores disseram que a maneira como as crianças criam interesse e pesquisam sobre os dinossauros, por exemplo, ajudará mais tarde que elas desenvolvam estratégias para resolver dilemas e situações complicadas da vida. O estudo também mostrou que interesses intensos, como esse dos dinossauros, não costumam vir dos pais, mas das diversas experiências que seu filho teve nos primeiros anos de vida.

-Publicidade-

Mas se você não aguenta mais ver dinossauros, temos uma boa notícia: nem todos os interesses intensos da infância permanecem! De acordo com os pesquisadores, apenas em 20% dos casos estudados o interesse da criança durou de seis meses a três anos. Agora se você quiser que este interesse dure, estimule a pesquisa e busca por novidades a respeito do tema. Festas de aniversário com tema de dinossauro costumam bombar! Fica a dica.

Apenas em 20% dos casos o interesse dura por mais de 3 anos (Foto: Getty Images)

Leia também:

Estudo revela que inteligência das crianças é herança da mãe — e não do pai

7 dicas de cientistas para você turbinar a inteligência do seu filho

5 passos para estimular a inteligência emocional do seu filho

-Publicidade-