Criança

8 fatos sobre os piolhos que você não sabia

Esses insetos não representam um risco tão grande à saúde dos seus filhos

Nathália Martins

Nathália Martins ,Filha de Sueli e Josias

(Foto: iStock)

Eles aderem melhor aos cabelos finos (Foto: iStock)

Os piolhos são chatos, sim, mas não representam um risco tão grande à saúde dos seus filhos. Separamos 8 fatos sobre estes insetos que você talvez não sabia e algumas dicas para tratar a cabeleira das crianças sem perder a cabeça. Vem ver:

1. Eles não carregam e nem transmitem doenças

Claro, coçar a cabeça pode causar feridas no couro cabeludo, mas na grande maioria de casos registrados nos Estados Unidos, esses insetos (sim, insetos!) não são um risco à saúde. O que eles propagam é medo e certo nojo para as crianças que têm o azar de pegá-los. “Os amigos podem se recusar a se sentar perto dos que têm piolho. Pais podem culpar uns aos outros e não permitir que as crianças brinquem juntas”, diz Shirley Gordon, Ph.D., R.N., diretora do Projeto de Tratamento e Prevenção de piolhos da Universidade Florida Atlantic, em Boca Raton (EUA). A preocupação é desnecessária considerando o pouco perigo que eles trazem. Tente não pensar nisso, é mais importante que seu filho seja legal com os amigos.

2. Não se espalham tão fácil assim

Pensar em uma foto da turma da escola te dá arrepios? Relaxa. É quase sempre necessário um contato longo e contínuo para que um piolho se mova da cabeça de uma criança para a outra, afirma Dr. Gordon. Eles não pulam como pulgas ou voam como mosquitos – os piolhos rastejam e mal se movem na cabeça humana. Para evitá-los, a dica é fazer rabo de cavalo ou tranças nas crianças de cabelo comprido, tanto para ir à escola ou festas.

3. Eles só sobrevivem em um hospedeiro humano

Piolhos só sobrevivem nas cabeças e cabelos humanos – não vivem em pets, na mobília ou roupas. “Eles precisam de suprimento de sangue humano pelo menos a cada 24 horas, ou logo morrem”, afirma o especialista em insetos Kim Soholt Larsen. Se um piolho, por exemplo, estiver em um travesseiro, precisaria de muita sorte e habilidades acrobáticas para chegar na cabeça de outra pessoa. “Embora seja possível que isso aconteça quando as crianças compartilham acessórios como chapéus e fones de ouvido, eles geralmente não se espalham dessa maneira”, explica Katie Shepherd, fundadora de um instituto especializado em piolhos na Flórida, nos EUA. Mesmo assim, vale o alerta para que seus filhos não dividam itens como bonés e chapéus com os colegas.

4. As lêndeas são muito fáceis de ver

Você só precisa aprender as características delas. As lêndeas não se soltam tão facilmente como a caspa, por exemplo. “Se você vir uma ‘mancha branca’ no cabelo, que não desliza e se solta facilmente, você provavelmente encontrou uma lêndea”, diz o Dr. Gordon. As manchas brancas opacas presas firmemente aos cabelos a mais de um centímetro do couro cabeludo, geralmente são ovos vazios, de onde as lêndeas saíram. “Estas “cascas” podem permanecer mesmo depois que uma criança foi tratada e não são uma ameaça”, diz o Dr. Yan. Ainda assim, aproveite para remover enquanto você está penteando o cabelo do seu filho.

5. Cabelos de crianças são os preferidos deles

Esses insetos aderem melhor aos cabelos finos – que geralmente estão na cabeça de crianças, já que os fios tendem
a ganhar mais textura com o tempo. Isso, combinado com o fato de que adultos são mais individualistas e não compartilham tantos objetos como as crianças, pode ser outro motivo porque os pais escapam mais dos piolhos. E, uma curiosidade: os piolhos não fazem xixi. Pois é, em vez disso, eles expelem o fluido por meio de sua traqueia.

6. Muitas crianças não sentem coceira

A coceira é uma resposta alérgica à saliva dos piolhos. Nela, estão presentes duas substâncias: uma que é anestésica e evita que a gente sinta dor no momento da picada, e outra que é anticoagulante e age no intestino do inseto. É a combinação das duas que causa a coceira, e apenas cerca de metade das pessoas têm, o que significa que seu filho pode nem sentir. Por isso, fique atento a outros sintomas como manchas vermelhas no pescoço, couro cabeludo e orelhas. Além das supostas “caspas”, que podem realmente ser lêndeas.

7. Lêndeas não são contagiosas

O ciclo do piolho conta com três fases e as lêndeas fazem parte da primeira delas, ou seja, elas são os ovos da “mãe piolho” e têm uma espécie de cola que as gruda no fio de cabelo. Como elas costumam ficar bem perto do couro cabeludo, é quase impossível que elas se soltem e sejam transmitidas. Depois de cerca de uma semana os ovos liberam as chamadas ninfas que, em mais ou menos 10 dias, chegam à fase adulta do piolho.

8. Percevejos são um incômodo muito maior

Os percevejos permanecem nos seres humanos o tempo suficiente para se alimentar, depois se arrastam por aí (eca!). Os piolhos, por outro lado, ficam em seu hospedeiro humano e o deixam praticamente ilesos. Se alguém na sua família tiver piolhos, não há necessidade de isolar sua casa, por exemplo. Basta lavar e secar em alta temperatura qualquer roupa de cama ou roupa que tenha entrado em contato com a cabeça do seu filho nas