Criança indígena não sobrevive após ataque de jacaré no Pará

Um vídeo com cenas fortes mostra a mãe da criança agoniada e chorando após o ataque do jacaré. O caso aconteceu na Terra Indígena Munduruku, localizada no município de Itaituba, sudoeste do Pará

Resumo da Notícia

  • Uma criança de apenas 10 anos morreu após ser atacada por um jacaré
  • O caso aconteceu na Terra Indígena Munduruku, localizada no município de Itaituba, sudoeste do Pará
  • Os irmãos estavam tomando banho no trecho do Rio Tapajós quando o acidente aconteceu

Uma criança de apenas 10 anos morreu após ser atacada por um jacaré na Terra Indígena Munduruku, localizada no município de Itaituba, sudoeste do Pará. O vídeo que circulou, mostra imagens fortes do pai segurando o filho no colo e desesperada após o acidente.

-Publicidade-

Os irmãos estavam tomando banho no trecho do Rio Tapajós que passa pela aldeia quando a vítima foi surpreendida pelo jacaré, que chegou por trás e atacou as costas da criança. O irmão saiu correndo para chamar o pai, mas o animal já havia levado o menino para o fundo do rio. O pai da vítima saiu em busca do filho e o encontrou, horas depois, no fundo do rio já sem vida.

A criança não sobreviveu após o ataque de jacaré
A criança não sobreviveu após o ataque de jacaré (Foto: Reprodução/G1)

O Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI), através de uma assistente social, está amparando a família da vítima. O corpo da criança será enterrado nesta quinta-feira (05), na aldeia que pertencia. O Corpo de Bombeiros Militar do Pará (CBM-PA) informou que não foi acionado para a ocorrência e explicou que, nesses casos, por se tratar de aldeia indígena localizada na zona rural do município, eles não costumam ser chamados por questões de logística e difícil comunicação.

O tenente-coronel do CBM-PA, Celso Piquet, analisou as imagens e esclareceu que, pelos ferimentos, mesmo sem ter destruído o corpo da criança, não há dúvidas de que se trata de ataque de jacaré. Ele explicou ainda que esses bichos costumam “abocanhar e levar as vítimas para o fundo dos rios, causando a morte por afogamento”