Dor de cabeça em crianças: por que acontece, como aliviar naturalmente e 6 motivos do que pode ser

A dor de cabeça em crianças é um sinal de preocupação para qualquer pai ou mãe, afinal, ninguém gosta de ver um filho passando por isso. Em uma conversa com a neurocirurgiã Dra. Tatiana Vilasboas, trouxemos dicas de ouro para prevenir e a importância do diagnóstico correto

Resumo da Notícia

  • Pelo menos uma vez na vida, 95% da população terá um episódio de cefaleia, também conhecida como dor de cabeça
  • Reduzir aparelhos eletrônicos e ter uma alimentação saudável podem prevenir essa condição
  • O diagnóstico correto é muito importante para definir o tratamento mais adequado para a criança

Também conhecida como cefaleia, as dores de cabeça nas crianças são uma preocupação imensa para qualquer pai ou mãe. Podendo ter diversos graus de intensidade, sintomas, causas e durações, o problema não deve ser deixado de lado precisa ser tratado o quanto antes.

-Publicidade-

Além do desconforto, a dor de cabeça pode atrapalhar nas atividades do dia a dia e até mesmo no rendimento escolar do seu filho. Por isso, conversamos com a neurocirurgiã do Hospital San Gennaro, Dra. Tatiana Vilasboas, que deu dicas de ouro para lidar com a situação e prevenir que as crises aconteçam.

O que é dor de cabeça ou cefaleia?

A cefaleia, de acordo com a especialista, é o termo médico usado para identificar a dor de cabeça. Ao todo, existem mais de 150 tipos diferentes deste problema, que é diagnosticado a partir de sua origem e também causa da dor. De maneira geral, ela pode ser definida como uma condição bastante comum, provocando uma dor aguda na cabeça, acompanhada ou não de outros sintomas.

Existem mais de 150 tipos diferentes de cefaleia, popularmente conhecida como dor de cabeça (Foto: iStock)

Tipos de dor de cabeça

Apesar de existirem diversos tipos de dor de cabeça ou cefaleia, a neurocirurgiã citou seis condições que podem acontecer em qualquer fase da vida. São eles:

  • Cefaleia tensional: aparece geralmente ao final do dia e pode ser o resultado de momentos de tensão e estresse muito grandes. A dor acontece pelo tensionamento excessivo dos músculos da nuca, pescoço, testa e musculatura próxima ao crânio. Veja algumas dicas para aliviar o estresse no dia a dia.
  • Cefaleia cervicogênica: é uma dor predominante em um componente cervical. Pode causar, principalmente, alterações na nuca ou cervical do pescoço. Geralmente, é possível identificá-la por começar no pescoço e parte de trás da cabeça, vindo a frente
  • Síndrome da dor miofascial: é uma condição clínica que causa dor muscular regional em um ou mais pontos, identificados como pontos-gatilho. Acontece próxima às estruturas moles do corpo como, os músculos
  • Enxaqueca: é um tipo primário de cefaleia. Acontece mais no público feminino do que masculino e pode ocorrer em qualquer idade, sendo mais frequente em adolescentes e adultos. A dor pode vir acompanhada aos sintomas de náuseas, vômito, entre outros
  • Cefaleia secundária: podendo estar presente em vários quadros clínicos, pode ter como causas as infecções bacterianas e virais, ou ainda condições mais graves, como fibromialgia, aneurismas e tumores cerebrais. Pode ser causada pelo uso excessivo de analgésicos comuns. Por isso, se as dores primárias forem comuns e recorrentes, não hesite em procurar um neurologista para o diagnóstico correto
  • Hidrocefalia: a condição, que também é caracterizada como um tipo de cefaleia, ocorre quando há um acúmulo anormal de líquido dentro do crânio, provocando inchaço e aumento da pressão cerebral. Como causas, pode acontecer após infecções, como meningite, ou devido tumores e alterações no desenvolvimento do embrião

Como saber se a dor de cabeça é enxaqueca

Também conhecida como migrânea, a enxaqueca pode acontecer em qualquer idade. “Ocorre com maior frequência em adolescentes ou adultos jovens que possuem predisposição genética. É uma doença multifatorial e já foram estabelecidos alguns gatilhos como jejum prolongado, estresse, irregularidade do sono, alguns alimentos como vinho, açúcar, chocolate, etc. Os pacientes podem descobrir qual ou quais os gatilhos que podem ter influência sobre eles. A dor pode ou não ser acompanhada por outros sintomas como náuseas, vômito, alterações visuais, fotofonofobia (hipersensibilidade ao barulho ou à luz). Além disso, a enxaqueca pode ou não ser precedida por aura, um sinal ou sintoma que precede a crise de dor”, explica.

O que pode causar dor de cabeça?

  • Hipoglicemia (falta de açúcar no sangue)
  • Má alimentação
  • Lesões
  • Alguns medicamentos
  • Irregularidades de sono
  • Estresse
  • Contato com substâncias de cheiro forte
  • Exposição por longos períodos a eletrônicos
  • Alterações hormonais
  • Sinusite
  • Acuidade visual – saiba quando a criança precisa usar óculos
  • Hidrocefalia
  • Tumores intracranianos
  • Malformações arteriovenosas (MAVs)
  • Aneurismas

Alimentos que podem causar dor de cabeça

  • Cafeína
  • Refrigerantes
  • Doces
  • Chocolate
  • Alimentos gordurosos e frituras
  • Leite integral e derivados

Como prevenir a dor de cabeça

O primeiro passo para prevenir o problema, é procurando um neurologista que irá passar o diagnóstico correto aos pais. Sabendo das causas que desencadeiam o problema, pode ser recomendado ter hábitos de vida mais saudáveis, como uma alimentação balanceada e também atividades físicas regulares, pois ajudam no tratamento de quase todos os tipos de dores de cabeça, de acordo com a Dra. Tatiana Vilasboas.

Diagnóstico para dor de cabeça

Geralmente, o diagnóstico para o problema é feito a partir de uma investigação sobe o tipo de dor, analisando se ela é pulsátil, latejante, constritiva, em preso, entre outras. Em seguida, é pensado em sua localização, se acontece em toda a cabeça, apenas de um lado, na nuca, atrás dos olhos. Depois, é conversado sobre a frequência dessa dor, estabelecendo se ela tem um início súbito ou não. “A dor que começa muito forte de início súbito gera uma preocupação com necessidade de investigação imediata (pode se tratar de um sangramento na cabeça secundário a um aneurisma, uma MAV, um cavernoma, ou mesmo um tumor que sangrou)”, comenta.

Quanto aos exames físicos, eles são responsáveis por “ajudar a descobrir se tem um membro ‘mais fraco’, algum déficit motor, se as pupilas e pares cranianos estão funcionando adequadamente, se existe rigidez de nuca, ou outro sinal de alerta. Estes dados nos darão pistas para saber se precisamos de algum exame laboratorial ou exames de imagem como ressonância, ou tomografia”.

95% da população terá ao menos uma vez na vida algum tipo de cefaleia (Foto: iStock)

Como aliviar a dor de cabeça sem remédios

Apesar de ser muito importante procurar um neurologista se as dores forem recorrentes, nos momentos em que a dor de cabeça é esporádica, os pais podem ajudar os filhos com alguns hábitos. São eles:

  • Colocar uma toalha molhada com água fria na testa
  • Tomar um banho relaxante
  • Oferecer água ou chá para a criança, pois a dor de cabeça pode ser sinal de falta de hidratação
  • Permitir apenas duas horas de televisão ao dia, dependendo da idade da criança
  • Evitar barulhos altos
  • Descansar em um local com pouca luz e bem ventilado
  • Investir em alimentos calmantes

Dor de cabeça é comum em crianças?

Apesar do problema acontecer, as dores de cabeça são menos frequentes nas crianças. Mas, nesta faixa etária, pode ocorrer uma sintomatização de problemas emocionais, que manifestam a condição. “Inclusive, pode ser sinal de alerta para abuso físico, sexual ou psicológico. Pode ser também um sinal de dificuldade em lidar com uma situação nova, como a perda de um ente querido, a separação dos pais, mudança de escola, etc. Porém, precisamos sempre afastar as causas físicas primeiro”.

Muitas vezes, segundo a neurologista, o problema pode ser resolvido com “um par de óculos, fisioterapia para corrigir desvios da coluna vertebral, redução do tempo em frente às telas, diagnosticar e tratar alterações endocrinológicas. Em outro extremo, podem necessitar de uma intervenção neurocirúrgica, como a colocação de uma válvula ou retirada de um tumor. Contudo, o diagnóstico e o tratamento correto são imprescindíveis para o sucesso e melhora da qualidade de vida”.

A criança pode nascer com cefaleia?

Geralmente, a criança não nasce com cefaleia, mas pode ser a condição devido um tumor já existente. “Ou mesmo apresentar um sangramento intraventricular da prematuridade que pode levar à hidrocefalia e cefaleia. Pode nascer com a predisposição genética para migrânea ou enxaqueca. Em outros casos pode desenvolver a cefaleia ao longo dos anos secundária a uma má postura, maus hábitos de sono, perda da acuidade visual, entre outros”.

Tratamento para dor de cabeça

Os episódios de dor de cabeça podem afetar (e muito!) a qualidade de vida da criança e não deve ser ignorada. Por isso, o principal ponto para o início do tratamento, que pode ser feito com mudança da hábitos, medicamentos, fisioterapia, ou uso de óculos, é o diagnóstico correto para o problema. “É importante procurar a causa da dor, entender porque está doendo. Essa é a pergunta chave para solucionar e começar a tratar o problema”.