Criança

Você precisa conversar com o seu filho sobre as redes sociais

O Instagram desenvolveu um guia para te ajudar

Nathália Martins

Nathália Martins ,Filha de Sueli e Josias

(Foto: Shutterstock)

(Foto: Shutterstock)

Se você pensa que só deve se preocupar em falar com seu filho sobre mídias sociais quando ele estiver na adolescência, pense novamente. Mesmo que as crianças menores de 13 anos não tenham permissão técnica para usar sites de mídia social como o Instagram, muitas que ainda estão no primário já estão disponíveis na rede.

Na verdade, o número de crianças que usam aniversários falsos e o endereço de e-mail de um dos pais para criar contas em sites de mídia social populares é um pouco surpreendente. De acordo com pesquisa da Ofcom de 2017, órgão regulador dos serviços de comunicações no Reino Unido, cerca de 28% de crianças de 10 anos, 46% de 11 anos e 51% de 12 anos tinham perfil online.

Não há dúvida de que plataformas como o Instagram inspiram as crianças e faz com que elas se expressem, mas os pais também devem estar cientes da possível exposição a cyberbullying e conteúdo inadequado. Seu filho pode não perceber as consequências do que ele faz online, o que pode colocá-lo em situações comprometedoras.

Com base nisso, o aplicativo começou a levar esse assunto mais a sério e resolveu colaborar com a National PTA para criar um novo recurso chamado “Saiba como conversar com seu filho sobre o Instagram: um guia para pais”. Ele está disponível nos formatos impresso, vídeo e digital e incentiva os pais a tomarem medidas quando se trata da privacidade, interações e tempo gasto da criança na plataforma. Mas Eddie Ruvinsky, diretor de engenharia do aplicativo de fotos, diz que o monitoramento não é a solução final.

Resolvemos separar algumas dicas para você começar a ensinar seu filho bons hábitos de internet logo:

Comece cedo 

Ana Homayoun, especialista em mídia social, diz que quem deve começar essa conversa é você: mãe ou pai. “As crianças não estão sendo informadas sobre as mídias sociais pelos pais, mas sim aprendendo com amigos, colegas, irmãos mais velhos e outros influenciadores. Por isso é importante que você participe ativamente de conversas encorajadoras”.

Faça um plano 

Identifique o porquê seu filho quer entrar nesse tipo de rede social e como ele usaria essa rede de forma positiva. Ana sugere fazer ele pensar em socialização saudável, auto-regulação eficaz e segurança geral como um guia para enquadrar a discussão.

Priorize a privacidade

“Muitas pessoas nem sempre sabem que têm a habilidade de terem a conta privada”, diz Lori Malahy, líder de pesquisa no Instagram. Transformar sua conta no modo privado significa que somente seguidores aprovados podem ver, comentar e gostar do seu conteúdo. Isso pode impedir que as informações pessoais de seu filho acabem nas mãos erradas. Tome uma dica de Dan Zigmond, diretor de análise do Instagram, que exigiu que as crianças tenham uma conta particular e conheçam pessoalmente todos os seguidores.

Boa etiqueta

Receber comentários nas redes sociais pode prejudicar a auto-estima de uma criança. Já escrever comentários pode causar problemas. Converse sobre a etiqueta adequada da mídia social e utilize as ferramentas descritas no guia de recursos do Instagram. Por exemplo, o aplicativo permite filtrar palavras ofensivas ou impróprias dos comentários.

Limites de tempo

As crianças ainda estão desenvolvendo a autodisciplina, então não é incomum que elas passem horas em plataformas de online. Trabalhe em conjunto para determinar a quantidade adequada de tempo que seu filho deve gastar em aplicativos todos os dias, seja 15 minutos ou uma hora.

Ensine sobre responsabilidade

Cyberbullying é cada vez mais comum hoje em dia. Em 2017, de acordo com o Sistema de Vigilância do Comportamento de Risco para Jovens dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, quase 15% dos estudantes do ensino médio pesquisados foram eletronicamente intimidados nos últimos 12 meses. Felizmente, o aplicativo permite que os usuários controlem o bullying removendo comentários de ódio, relatando comportamentos negativos e bloqueando pessoas.

Pratique o que você prega

Você já sabe que as crianças são espelhos e estão constantemente aprendendo pelo exemplo que as pessoas dão a elas. Praticando hábitos positivos de mídia social, você está configurando seu filho para uma experiência positiva, gratificante e inspiradora.

Leia também:

Grávida de trigêmeos bomba no Instagram após compartilhar fotos de sua barriga

Saiba quais são as mães famosas que faturam até R$ 200 mil com publicações no Instagram

Casal consegue adotar bebê por meio de uma conta no Instagram