“A expectativa é que dure mais três meses a um ano”, estima médico sobre coronavírus

Dr. Flávio Iizuka contou, porém, que ainda não é possível confirmar a informação, uma vez que depende de fatores externos. Por isso, é fundamental que todos sigam as recomendações das instituições de saúde

Resumo da Notícia

  • A pandemia do coronavírus mudou a realidade de todo mundo e causou sérios danos ao redor do mundo
  • O urologista Dr. Flávio Iizuka explicou que a estimativa é que a doença dure mais três meses a um ano
  • Não é possível confirmar uma data, porque a expectativa depende de outros fatores externos, como o cumprimento do isolamento social
O número é uma expectativa, não dá para confirmar, porque depende de vários fatores (Foto: Getty Images)

A pandemia do coronavírus levantou várias perguntas e algumas ainda não têm resposta. Uma das mais aguardadas pela população mundial é em relação ao término dessa situação, ou seja, quando terá fim.

-Publicidade-

Vários estudos estão sendo feitos na área e a resposta depende dos próximos passos da medicina: se encontrarão um tratamento oficialmente comprovado, uma vacina para prevenir o restante das pessoas e até o cumprimento da quarentena.

Conversamos com com o Dr. Flávio Iizuka, urologista e pesquisador formado pela USP, pai de Lucas e Caroline, que está nos Estados Unidos nesse momento para entender melhor a data prevista para o fim. 

-Publicidade-

“Não existe resposta, mas especulação. Então a expectativa é que essa pandemia dure mais três meses a um ano”, explica. Ele conta que o cálculo é pensado comparando com o que aconteceu em outras pandemias, como a gripe espanhola, que durou entre 3 e 4 anos.

“O coronavírus segue a sazonalidade das viroses, que tendem a ser piores no inverno, mas sabemos que provavelmente o isolamento social vai achatar a curva”, completa.

De acordo com as informações divulgadas pelas secretarias estaduais de Saúde nesta terça-feira (21), o Brasil tem 41.325 casos confirmados da doença e 2.629 mortes decorrentes do covid-19. O balanço feito pelo Ministério da Saúde divulgado na segunda-feira (20) mostrava 40.581 casos e 2.575 mortes.

-Publicidade-