Estudo mostra que coronavírus pode sobreviver em objetos que você tem dentro de casa por até 3 dias

Como orientação, recomenda-se que a limpeza e higiene pessoal sejam redobradas e que as normas da Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde sejam respeitadas

Resumo da Notícia

  • O vírus pode ficar em papelão, plástico e até mesmo em maçanetas
  • No ar, a contaminação pode ficar por três horas
  • O estudo foi realizado nos Estados Unidos
  • É importante reforçar a higiene pessoal e a limpeza dentro de casa
As encomendas vindas da China não foram responsáveis por espalhar o coronavírus (Foto: Getty Images)

De acordo com um estudo realizado por pesquisadores do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas junto à Universidade de Princeton, ambos nos Estados Unidos, foi comprovado que o coronavírus pode sobreviver por até 72 horas em materiais de plástico e também de metais inoxidáveis. No papelão, ele pode durar até 24 horas, no cobre de duas à quatro horas e no ar, três.

-Publicidade-

A pesquisa, que foi divulgada na última quarta-feira, 11 de março, tinha o intuito de analisar o tempo de vida do vírus fora do corpo humano. Com as informações, foi possível comprovar que o vírus é capaz de ser transmitido rapidamente.

Em janeiro de 2020, as dúvidas sobre se objetos vindos da China estavam contaminados pelo coronavírus começaram a surgir. Com o estudo, a hipótese pôde ser descartada, pois demora-se muito tempo para as encomendas chegarem ao Brasil, o suficiente para o vírus morrer durante o trajeto.

-Publicidade-

No estudo, foi possível mostrar que o vírus também pode ficar no ar e em objetos inanimados gerando a infecção, mas ainda será necessários mais pesquisas sobre o assunto. Dylan Morris, um dos autores do estudo, usou o Twitter para falar que a semelhança do covid-19 com o Sars (que causou contaminação em 2003) é o tempo de sobrevivência.

A higienização das maçanetas é essencial (Foto: Getty Images)

Ele contou ainda que 22 estudos sobre transmissão em superfícies foram analisadas, e comprovado que o vírus morre depois de quatro ou cinco dias. Para a realização da pesquisa, eles escolheram as superfícies mais óbvias, que estão presentes em muitos objetos hospitalares e dentro de casa, por exemplo.

Quando foi testado no ar, foi usado uma câmara fechado e com isso, após o teste, coletaram o vírus e colocaram em uma placa de petri para analisar as células infectadas. Como resultado, foi comprovado que o vírus permanece vivo em papelão da caixa de pizza, por exemplo, e até mesmo em uma maçaneta de metal. Por isso, redobre a higiene pessoal e dentro de casa e siga as orientações da Organização Mundial da Saúde e também do Ministério da Saúde.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-