Mãe conta como foi se tornar avó aos 36 anos: “Fiquei arrasada por dentro”

Em um relato, Nikki explicou que teve a primeira filha aos 19 anos. Essa filha, então, engravidou pela primeira vez quando tinha apenas 17

Resumo da Notícia

  • Mãe conta como foi se tornar avó aos 36 anos
  • Em um relato, Nikki explicou que teve a primeira filha aos 19 anos
  • Essa filha, por sua vez, engravidou quando tinha apenas 17 anos
  • No relato, a mãe contou que foi bem difícil descobrir que seria avó tão cedo, mas hoje não mudaria nada

Nikki Sullivan, de 38 anos, trabalha para serviços sociais e também é personal trainer. Ela mora em Croydon, no sul de Londres, e é mãe de Kira, de 20 anos, J-Jay,  de 16, dos gêmeos Shanice e Kelis, de 15, e dois filhos adotivos. Em entrevista ao The Sun, Nikki contou como foi descobrir que seria avó quando tinha 36 anos. “Ao ver o teste de gravidez positivo, fiquei chocada. Não era eu que estava grávida, mas minha filha Kira, que na época tinha apenas 17 anos”, começou ela, contando.

-Publicidade-
Mulher conta como foi descobrir que a filha de 17 anos estava grávida (Foto: reprodução / Getty Images)

“Depois de me tornar uma mãe adolescente aos 19 anos, eu não queria o mesmo para ela. Apesar disso, a história estava se repetindo – e agora, eu seria uma avó de apenas 36 anos. Por dentro, eu fiquei arrasada, mas passei meus braços em volta de Kira, sorri e prometi que a apoiaria”, relembrou a mãe.

“Quando Kira nasceu em outubro de 2000, eu estava com o pai dela desde os 15 anos. A gravidez não foi planejada, mas eu estava muito feliz. Depois que o pai dela e eu nos separamos quando ela tinha um ano de idade, eu a criei sozinha. Minha própria mãe deixou a família quando eu tinha 11 anos e ajudei meu pai e minha irmã mais velha a cuidar dos meus irmãos mais novos. Eu cresci rapidamente e me sentia pronta para ter um bebê. Mas, olhando para trás agora, vejo como fui ingênua. Mudei-me para um lugar só meu com Kira, mas enquanto meus amigos estavam em discotecas, eu esterilizava mamadeiras, sem dormir e me sentindo isolada”, continuou ela, contando.

“Minha irmã mais velha, Jessica, agora com 41 anos, era minha rocha e realmente me ajudou, mas eu sentia falta de ter uma figura materna em minha vida, uma mãe minha para me apoiar e pedir conselhos. Cuidar de crianças era tão caro que eu não podia pagar para voltar a trabalhar no varejo, então me vi vivendo de benefícios, uma posição que nunca quis estar Eu nunca me arrependi de tê-la, mas aqueles primeiros anos foram difíceis”, seguiu relatando,

A mãe seguiu contando que sempre fez de tudo para mostrar aos filhos que era possível ser mãe e ainda assim ter uma carreira. “Em grupos de crianças pequenas, as pessoas muitas vezes presumiam que eu era a irmã mais velha de Kira e ficavam chocadas quando eu explicava que ela era minha filha. Tive mais três filhos em outro relacionamento, que agora acabou, e também adotei meus dois filhos mais novos. Eu me qualifiquei como personal trainer e também trabalho em serviços sociais na minha região, determinada a mostrar aos meus filhos que ser uma mãe jovem e solteira não é uma barreira para uma carreira”, disse ela.

“Quando tinha 14 anos, Kira começou a sair com um menino chamado Hassan, que tinha a mesma idade que ela, e eu era franca com ela sobre sexo, contracepção e como era difícil ser mãe jovem. Ela me garantiu que entendia, mas no fundo da minha mente sempre havia uma preocupação. Então, em outubro de 2018, pouco antes de seu aniversário de 18 anos, ela foi mandada para casa depois de trabalhar em um pub porque sentia náuseas, e eu sabia que ela estava grávida. Ela insistiu que era algo que havia comido, mas eu comprei um teste para ela – e eu estava certa”, relembrou a mãe, contando como descobriu que seria avó.

“Eu não queria que Kira tivesse uma aborto, embora eu soubesse em primeira mão o quão difícil era ser uma mãe adolescente, mas a decisão era dela e de Hassan. Ele deu muito apoio e concordou com Kira que embora eles não tivessem planejado isso, eles amariam este bebê e assumiriam a responsabilidade”, completou.

Mulher conta como foi se tornar avó aos 36 anos (Foto: reprodução The Sun)

Foi na mesma noite que ela percebeu, no entanto, o que tudo aquilo significaria para ela também. “Mas, deitada na cama naquela noite, me dei conta de que seria avó em uma idade em que algumas mulheres ainda nem começaram as próprias famílias. Eu sempre me imaginei no futuro como uma avó ‘típica’. Não tenho 36 anos, ainda estou criando meus próprios filhos, com um trabalho e uma vida social ocupada. Quando as pessoas ouvem minha neta me chamar de avó no parque, eu vejo os olhares surpresos”, continuou.

“Embora ninguém tenha dito nada na nossa cara, nas redes sociais houve alguns comentários desagradáveis ​​de amigos e de pessoas que eu não conhecia muito bem. Apesar disso, eu sonhava em ser uma futura avó. Fui a todos os exames de Kira, comprei um carrinho de bebê e um berço e fiz um chá de bebê para ela. Minha neta, Royalty, nasceu em 17 de abril de 2019, e eu estava lá para o nascimento dela junto com Hassan, embora a equipe e outras mães presumissem que Kira e eu éramos irmãs!”, relembrou.

Depois do nascimento, a filha e o namorado alugaram uma casa, mas acabaram se separando de forma amigável, como ela mesmo descreveu, quando a bebê completou 1 ano. Hoje, Nikki ajuda a filha a cuidar da neta e aprendeu a ver um lado bom em tudo isso. “Eu amo ser uma avó jovem e ativa. Minha neta trouxe tanta felicidade e estou muito orgulhosa da minha filha, que está se provando ser uma mãe excelente. Antes eu até queria que as coisas tivessem acontecido de forma diferente para ela. Mas hoje eu não mudaria nada”, completou.