Família

Mãe reencontra filha que foi dada como morta em incêndio 6 anos atrás

Luz Cuevas sempre acreditou que sua filha estava viva

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Mãe nunca acreditou que a filha estava morta (Foto: Reprodução/Daily Star)

Mãe nunca acreditou que a filha estava morta (Foto: Reprodução/Daily Star)

Em 1997, a vida de Luz Cuevas virou de ponta cabeça. Em uma noite, sua casa começou a pegar fogo enquanto ela dormia. Quando percebeu que o fogo se alastrava, foi buscar sua filha, Delimar, de apenas 10 dias de vida, mas ao chegar no quarto o berço estava vazio. Sem ligar para o fogo, Luz continuou procurando sua filha até ser resgatada por bombeiros com queimaduras no rosto e intoxicação pela fumaça.

Ela tinha convicção que sua filha estava viva, pois além da bebê não estar no quarto, a janela estava aberta, mas os policiais não acreditaram nela, concluindo então que sua filha havia morrido no incêndio.

Mas isso não fez a mãe esquecer a filha. Alguns anos depois, Luz encontrou uma menina que tinha traços físicos parecidos com o de sua bebê, em uma festa. Ela se ofereceu para amarrar o cabelo da menina e conseguiu pegar alguns fios para um teste de DNA. Assim, descobriu que aquela menina era mesmo Delimar, sua filha desaparecida.

Com ajuda de um político local, Luz conseguiu entrar em contato com a suposta mãe da menina, Carolyn Correa, coincidentemente casada com o primo de Luz. Novos exames de DNA foram feitos e constatou-se que Carolyn não era a mãe da menina e que a pequena realmente era Delimar Vera.

Delimar foi raptada com apenas 10 dias de vida (Foto: Reprodução/BebêMamãe)

Delimar foi raptada com apenas 10 dias de vida (Foto: Reprodução/BebêMamãe)

Carolyn confessou ter sequestrado a bebê recém-nascida e colocado fogo na casa de Luz para esconder seu crime. O casal vivia com a menina roubada em New Jersey. No começo a separação da menina da sua “mãe” foi difícil. Mas quando entendeu o que tinha acontecido, logo ficou feliz em conhecer sua verdadeira mãe. O advogado presente no local disse que a menina se escondeu atrás de uma mesa e quando Luz chegou, ela pulou na sua frente e disse: “Surpresa”. Luz perguntou a ela: “Você sabe quem eu sou?”. E a menina respondeu: “Você é minha mãe”. Carolyn foi condenada a 30 anos de prisão.

Luz relatou a revista americana People que “minha filha é uma pessoa muito feliz e se adaptou muito bem. Ela me chama de mãe desde o começo. Mas ela ainda vai a terapia regularmente e durante muitos anos ela me fazia sempre a mesma pergunta: ‘Por que aquela mulher me levou?’. E eu sempre respondia: ‘Eu gostaria de saber a mesma coisa’”. Hoje Delimar é uma jovem de 21 anos que mantém uma boa relação com sua mãe Luz e com seu pai Pedro Vera.

Leia também:

Mãe faz alerta após encontrar lâmina de estilete em pacote de figurinha

Pai solteiro adota 5 irmãos de abrigo para que eles não se separassem

Mãe encontra cobra venenosa dentro de berço da filha