Mais de 1 milhão de pessoas já foram imunizadas em São Paulo: veja o ranking completo das cidades

Nesta sexta-feira, 12 de fevereiro, o governador João Dória anunciou os 10 municípios de SP que mais vacinaram pessoas e trouxe Monica Calazans e padre Julio Lancelotti. Até o momento, mais de 1 milhão de paulistas já foram imunizados

Resumo da Notícia

  • O governador João Dória fez uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira, 12 de fevereiro
  • Foram anunciados os municípios que mais vacinaram a população no estado de SP
  • Houve uma queda no número de casos e internações nesta semana
  • Mais de 1 milhão de pessoas já foram vacinadas em São Paulo

Nesta sexta-feira, 12 de fevereiro, o governador João Dória fez uma coletiva de imprensa para anunciar mais informações sobre a campanha de vacinação contra o novo coronavírus. Ao lado dele, compareceram a enfermeira Monica Calazans, a primeira pessoa no Brasil a receber o imunizante, e o padre Julio Lancelotti, que está na linha de frente de proteção da população em situação de rua.

-Publicidade-

Regiane de Paula, coordenadora do Controle de Doenças da Secretaria de São Paulo, anunciou o momento como sendo de “muita emoção” e seguiu para mostrar o ranking de “Vacinômetro”, anunciando quais foram os municípios de São Paulo que proporcionalmente mais vacinaram pessoas, sendo eles com mais de 100 mil habitantes.

(Foto: Reprodução Facebook / Governo de São Paulo)

O primeiro município é São Caetano do Sul, com 8,1% da população vacinada. Em seguida, vem Catanduva, com 7,2% e  Botucatu, com 7% da população imunizada. Barretos vem em quarto lugar, com 6,3% de imunização, seguido de Santos (5,8%), São José do Rio Preto (5,7%), Jaú (5%), Araçatuba (5%), Araraquara (4,9%) e Marília (4,8%).

Número de casos de contaminação por coronavírus

Jean Gorinchteyn, secretário da Saúde do estado de São Paulo, anunciou os números da sexta semana epidemiológica em 2021.  Ele reforçou que as medidas de segurança tomadas pelo Plano São Paulo em deixar o estado na fase vermelha foi essencial para controlar a quantidade de casos de pessoas infectadas. “Sem elas estaríamos em um colapso no sistema de saúde em todo o estado de São Paulo”, disse. 

Comparado com a quinta semana epidemiológica, houve uma queda de 9% do número de casos e queda de 6% no número de internações. Essa é a quarta semana consecutiva de queda no número de internações e, segundo o secretário da saúde,  isso mostra “o que está acontecendo com a dinâmica da pandemia naquela região”.

Apesar dessas quedas, houve uma elevação em 5% no número de óbitos, resultado das internações que aconteceram nas últimas semanas epidemiológicas. Jean Gorinchteyn aproveitou para reforçar a importância da população ficar atenta às medidas sanitárias para proteger a população do contágio pela Covid-19

Aumento no número de mortos

Jean Gorinchteyn reforçou que o aumento nos números indicando os mortos pelo novo coronavírus são consequência da elevação de casos e quantidades de internações que aconteceram no início do ano, decorrentes das festas de final de ano. Agora, com as quatro semanas consecutivas de quedas, também irá acontecer nas próximas semanas uma diminuição no número de óbitos causados pela Covid-19. 

Todos os municípios terão doses suficientes para a vacinação em São Paulo

Diante das perguntas e especulações sobre não ter vacinas suficientes para imunizar toda a população,  Regiane de Paula reforçou que, se os municípios seguirem o que foi orientado pelo Programa Estadual de Imunização, não faltarão doses da vacina para nenhuma cidade.

Monica Calazans, a primeira pessoa vacinada, tomou a segunda dose da vacina

Monica, durante a coletiva de imprensa, recebeu  a segunda dose da vacina do Butantã, enquanto o padre Julio Lancelotti mostrou sua carteira de vacinação com a primeira dose do imunizante. Aproveitando a deixa, Monica reforçou a importância do isolamento social e de seguir as medidas de proteção. “Estou sendo imunizada pela segunda vez, mas isso não me dá o direito de não usar máscara, de aglomerar. Vou continuar, junto com todos os brasileiros, usando máscara até que todos estejamos imunizados”, disse.

Padre Julio Lancellotti, militante e combatente da linha de frente pelo direito das pessoas em situação de rua, também se posicionou sobre a imunização. Nesta sexta-feira, São Paulo começou a vacinar a população em situação de rua com mais de 60 anos. “É um momento muito bonito em termos de humanização. São mais de 2.200 pessoas com essa faixa etária nas ruas. Acredito que São Paulo é o primeiro estado e a primeira cidade a vacinar os moradores de rua, assim como o Papa Francisco pediu para vacinar a população de rua no Vaticano”.