SP entra na fase laranja, mas com fase vermelha em horários específicos: veja como irá funcionar

Em entrevista coletiva, o governo do estado de São Paulo anunciou medidas mais restritivas como forma de conter a disseminação do novo coronavírus

Resumo da Notícia

  • São Paulo entrou para a fase laranja no Plano São Paulo
  • Durante horários específicos e aos fins de semana e feriados, todo o estado fica na fase vermelha
  • A rede estadual também mudou o início da volta às aulas presenciais

Nesta sexta-feira, 22 de janeiro, o governo de São Paulo realizou uma coletiva de imprensa no início da tarde para anunciar medidas mais restritivas no Plano São Paulo. O encontro, que aconteceu no Palácio dos Bandeirantes, informou que a região metropolitana regrediu para a fase laranja para o combate da pandemia.

-Publicidade-
A medida será uma maneira de tentar conter o avanço da doença em São Paulo (Foto: Getty Images)

Além disso, Patrícia Ellen, secretária de Desenvolvimento, disse que nos dias de semana, entre as 20 horas da noite e 6 horas da manhã nos dias úteis, e aos finais de semana e feriados (o dia inteiro), a cidade fique na fase vermelha, permitindo apenas o funcionamento dos serviços essenciais. Shoppings, bares, restaurantes, cinemas, salões de beleza, academia e comércios estarão fechados. As medida passam a valer a partir da próxima segunda-feira, 25 de janeiro, até o dia 7 de fevereiro. Nenhuma região será classificada nas fases amarela e verde até 8 de fevereiro.  “Em 28 dias, o estado poderia ter um esgotamento de leitos UTI Covid e por isso, essas medidas estão sendo tomadas, podendo ocorrer um colapso”, comenta a secretária.

“Sem vida não há economia. Precisamos cuidar primeiro das pessoas para que elas possam ir a shoppings, parques, restaurantes e outras áreas de lazer”, explicou o governador João Doria. “As autoridades cederam e voltaram a abrir aquilo que deveria ser mantido fechado. O resultado foi um aumento intenso de pessoas infectadas e infelizmente, que foram a óbito. São Paulo não vai ceder, São Paulo vai proteger”, completou.

A medida foi tomada a partir do aumento do número de casos, mortes e utilização de leitos de UTI, que está atingindo o limite nos municípios. Devido as aglomerações de fim de ano, o avanço da doença já era esperado. Edson Aparecido, secretário municipal de Saúde, chegou a antecipar a CNN que o pior momento ainda não chegou, estimando que um pico ocorra no início de fevereiro. “Desde o dia 26 de fevereiro (de 2020), São Paulo segue a orientação dos médicos e os caminhos para salvar vidas”, lembrou João Doria durante a coletiva de imprensa.

As regiões de Presidente Prudente, Marília, Bauru, Sorocaba, Taubaté, Franca e Barretos estão na fase vermelha. As demais localidades de São Paulo, seguem na fase laranja. João Gabbardo, diretor do Centro de Contingência, reforçou que no Brasil, acontece 1 óbito a cada seis minutos pelo novo coronavírus.

Aumento dos casos

Jean Gorinchteyn, Secretário da Saúde, informou que tivemos uma aceleração da pandemia, com um aumento de casos e óbitos e um aumento amplo da curva. Em um período de 45 dias, tivemos os mesmos números de uma dinâmica de cinco meses.

Para o tratamento dos casos, será reaberto o hospital de campanha de Heliópolis, além de 24 leitos de UTI no dia 25 de fevereiro e 756 leitos em hospitais de São Paulo, sendo 306 de UTI. Ao todo, 78 mil pessoas já foram vacinadas no estado. “Nós precisamos e estamos aumentando o número de leitos e de enfermaria para garantir assistência aos pacientes com Covid, mas precisamos adotar medidas emergenciais”. Serão canceladas as cirurgias eletivas, mas em casos de urgência serão mantidas.

Volta às aulas

O início das aulas presenciais em São Paulo será suspensa e a obrigatoriedade física em sala de aula nas fases vermelha e laranja não acontecerá. O anúncio foi feito pelo governador do estado de São Paulo, João Doria. A volta às aulas estava prevista para acontecer em 1º de fevereiro.

Veja como irá funcionar o retorno (Foto: Shutterstock)

A presença dos alunos não será obrigatória durante estas fases na rede pública de ensino estadual. A partir de 1 de fevereiro, a escola continuará com a formação de professores e a comunicação com as famílias sobre a importância da volta e o que será ofertado durante este momento. O início do ano letivo na forma híbrida começa em 8 de fevereiro na rede estadual.

Mesmo durante a fase vermelha e laranja, vale lembrar que as escolas poderão funcionar normalmente, mas as famílias não possuem a obrigatoriedade de enviar os filhos neste momento. “A família poderá optar se deseja ou não mandar a criança, mas quando chegar na fase amarela, haverão novas informações”, comentou o secretário da educação, Rossieli Soares.

Ainda segundo o secretário, a mudança da data foi alterada para que os profissionais de educação e as famílias tenham uma semana a mais de preparação. “O governo tomou a decisão de adiar o início das aulas e suspender a obrigatoriedade presencial dos alunos na rede pública de ensino. Devido exatamente ao crescimento da pandemia, a Secretaria Estadual de Educação está suspendendo a obrigatoriedade da presença físicas dos alunos, conforme estava planejado anteriormente, em sala de aula nas fases laranja e vermelha do Plano São Paulo”, explicou o governador do estado João Doria, sobre a decisão.