Rainha Elizabeth II deve passar Natal longe da tradicional ceia da Família Real

A monarca ficará reclusa da festividade promovida em Sandringham, sua residência favorita que deveria receber 50 membros da corte britânica

Resumo da Notícia

  • Pelo segundo ano consecutivo, a monarca passará o Natal no palácio de Windsor
  • Fontes oficiais contaram que a decisão foi movida por conta do aumento de casos da Covid-19 na Inglaterra
  • Não se sabe se algum dos 50 membros da corte britânica irá fazer companhia à Rainha

A Rainha Elizabeth II foi forçada novamente a passar o Natal sozinha dentro do castelo de Windsor. Este é o segundo ano consecutivo que a monarca de 95 anos de idade deverá ficar longe das tradicionais comemorações da realeza britânica.

-Publicidade-

A rainha deveria viajar de helicóptero nesta terça-feira, dia 21 de dezembro, para sua residência favorita, Sandringham, com o objetivo de encontrar cerca de 50 membros da família real, além de outros convidados selecionados rigorosamente, para celebrarem o Natal juntos.

A Família Real aproveita muita as comemorações de fim de ano (Foto: Getty Images)

Entretanto, de acordo com fontes oficiais, Elizabeth II precisará se isolar devido o aumento expressivo de casos de Covid-19 na Inglaterra, além do recente surgimento da variante Ômicron do novo coronavírus.

“Sua majestade deseja minimizar qualquer risco para os eventos. Colocar-se, potencialmente, em perigo com uma grande reunião familiar é uma dessas ameaças possíveis”, anunciou uma fonte do palácio de Windsor ao jornal britânico Daily Mail.

Até o momento, ainda não se tem notícias se algum membro da família real se juntará à matriarca no dia 25 de dezembro.

Natal da realeza

De acordo com informações apuradas por Ingrid Seward, especialista que estuda a Família Real  há anos, existem algumas tradições de Natal dentro da nobreza britânica que com certeza não são nada comuns para os cidadãos da plebe.

Ingrid revelou que a rainha Elizabeth II, atualmente com 95 anos de idade, possui o costume de pesar os convidados do palácio real antes e depois que a ceia é servida, com o propósito de se certificar de que eles estejam sendo muito bem alimentados.

O príncipe William e a esposa, Kate Middleton, são conhecidos por quebrarem e modernizarem alguns hábitos reais. Porém, de acordo com a estudiosa, eles também são sujeitos ao sistema rígido e peculiar da rainha de controle do peso.

(Da esquerda) The Queen, Charles, Camilla, William e Kate na Abadia de Westminster em 9 de março (Foto: Reprodução/ dailymail)

A tradição, que surgiu durante o reinado de Eduardo VII, no início de 1900, se aplica a todos os nobres que frequentarem o palácio. Além desta inusitada recepção, no Natal a família real janta um peru com diversos acompanhamentos para, em seguida, tomar um chá da tarde com um bolo gelado bem servido.

Outro hábito de fim de ano da rainha Elizabeth II é oferecer um banquete para os cães reais. “Até os corgis, havia 12 quando eu era chef, têm menus individuais, geralmente permeados de coelho fresco, carne ou frango com arroz e repolho”, relatou para a imprensa o ex-chef da Casa real Darren McGrady.

A nobreza também tem o costume de caminhar pelos jardins de Sandringham House, a casa de campo particular da rainha, que fica localizada em Norfolk, no Reino Unido. Na residência, o costume é que cada um entre no salão da Grande ceia respeitando a ordem de idade.