Rinite tem cura? Descubra como a imunoterapia pode ajudar no tratamento de alergias em crianças

Conversamos com uma especialista do Hospital Paulista e te ajudamos a entender as principais causas das alergias e as formas de tratá-las

Resumo da Notícia

  • Atchim! A rinite apareceu e junto com ela vieram os incômodos;
  • Só quem vê os filhos passando por isso sabe: nariz coçando, espirros seguidos e olhos lacrimejando;
  • Mas, calma! Com os cuidados certos é possível passar (bem!) pelo problema e driblar a situação dentro de casa.

Atchim! A rinite apareceu e junto com ela vieram os incômodos. Só quem vê os filhos passando por isso sabe: nariz coçando, espirros seguidos e olhos lacrimejando. Mas, calma! Com os cuidados certos é possível passar (bem!) pelo problema e driblar a situação dentro de casa.

-Publicidade-

Conversamos com Cristiane Dias Levy, otorrinolaringologista do Hospital Paulista e ela explicou as principais causas das alergias e trouxe a imunoterapia como uma solução oportuna e adequada para crianças. A médica também deu algumas dicas para que as crianças cresçam em um ambiente pouco propício para a proliferação de alérgenos.

As alergias respiratórias mais comuns são rinite e asma
As alergias respiratórias mais comuns são rinite e asma (Foto: Getty Images)

Alergia respiratória: quais os principais sintomas e causas?

A alergia respiratória é uma resposta do sistema imune a alérgenos, ou seja, a substâncias capazes de dar alergia, como por exemplo: pó, pêlos de animais, ácaros ou fungos, entre outros, que provocam doenças, como rinite ou asma. Ela é mais comum em pessoas com predisposição genética, por isso, acontece principalmente em pessoas com antecedentes familiares de alergia.

Quais alergias respiratórias são mais comuns em crianças?

Asma e rinite são alergias respiratórias comuns. A rinite é caracterizada pela presença de um ou mais dos seguintes sintomas: congestão nasal, coriza, espirros e pruridos. Segundo o Ministério da Saúde, a rinite pode ser considerada a doença de maior prevalência entre as doenças respiratórias, problema global de saúde pública, acometendo cerca de 20% a 25% da população em geral e afeta a qualidade de vida das pessoas. Já a asma é caracterizada por chiado no peito, tosse seca e falta de ar.

Definida como uma doença respiratória crônica, a asma é caracterizada por inflamação das vias aéreas, obstrução ao fluxo de ar e hiperresponsividade brônquica, levando a episódios recorrentes de chiado e aperto no peito, falta de ar e tosse.

Essa doença constitui um dos mais importantes problemas de saúde no mundo, e no Brasil compromete 10% a 20% da população, sendo responsável, anualmente, por 350 mil  internações hospitalares. Só no Brasil, a doença afeta aproximadamente 20% das crianças e adolescentes.

A asma pode ser alérgica e não alérgica. A mais comum e que atinge principalmente as crianças é a asma alérgica, desencadeada pelos alérgenos inalantes como poeira, ácaros, fungos e pólen. Muitas vezes a asma e a rinite podem estar associadas.

Esses sintomas são mais frequentes na primavera ou no outono, devido à diminuição da umidade e ao aumento da concentração dessas substâncias no ar. Para tratar a alergia respiratória corretamente, o alergologista deverá estudar a causa e indicar o uso de remédios específicos para o problema, além de outros cuidados que facilitam a recuperação, como evitar frequentar locais muito poluídos e beber bastante água no dia a dia.

A imunoterapia é um tratamento adequado?

A imunoterapia específica é definida como o tratamento de doenças alérgicas, realizado com base em uma vacina que eleva a imunidade da criança. Contudo, é preciso identificar a alergia de cada paciente e indicar o tratamento mais adequado.

Esse tipo de tratamento ajuda a aliviar as doenças respiratórias
Esse tipo de tratamento ajuda a aliviar as doenças respiratórias (Foto: Shutterstock)

Imunoterapia específica para tratamento de doenças alérgicas respiratórias iniciou na Inglaterra pelos pesquisadores Leonard Noon e John Freeman, em 1911.  E desde então, a terapia consiste em administrar de diversas doses, gradativas e cada vez mais concentradas, dos extratos das substâncias que causam alergia, administrados em intervalos regulares durante um determinado tampo, que pode variar de um a cinco anos, até o paciente criar resistência ao causador da sua alergia, o que irá diminuir os sintomas.

Esse tratamento é recomendado para adultos e crianças maiores de cinco anos com rinite alérgica moderada ou grave. Mas sempre deve ser indicada por um especialista em alergologia.

As alergias têm cura?

As alergias respiratórias não têm cura. No entanto, elas podem ser controladas com tratamentos baseados na redução dos sintomas e que aumentam a qualidade de vida, como a imunoterapia.

Existem outros tratamentos para alergias respiratórias?

Os tratamentos vão desde o cuidado com o ambiente em que a criança vive, evitando objetos que acumulam poeira e ácaros, possibilitando uma ventilação adequada e exposição solar aos ambientes.

A lavagem nasal com soluções salinas tem sido empregada como coadjuvante no tratamento de afecções nasais agudas e crônicas. Por ser um método barato, prático e bem tolerado tornou-se muito difundido. Além disso, o médico pode indicar medicamentos adequados que ajudam no alívio da alergia.

Quais cuidados os pais devem ter no dia a dia da criança com rinite?

Saiba como aliviar a rinite nas crianças
Saiba como aliviar a rinite nas crianças (Foto: Freepik)

Sem dúvidas são as medidas de controle do ambiente, sendo elas:

• O quarto de dormir deve ser bem ventilado e ensolarado.

• Prefira colchões e travesseiros de espuma, fibra ou látex, sempre que possível

• Evite tapetes, carpetes, cortinas e almofadas.

• Evite bichos de pelúcia, estantes de livros, revistas, caixas de papelão no quarto de dormir

•Combata o mofo e a umidade

• Passe um pano úmido diariamente na casa, mas evite produtos de limpeza com forte odor

• Roupas de cama e cobertores devem ser lavadas e secadas ao sol ou ar quente antes do uso

•Evite banhos extremamente quentes. A temperatura ideal da água é a temperatura corporal.

Apesar de não terem cura, as alergias respiratórias podem ser atenuadas com pequenas mudanças, que melhoraram não só a saúde do seu filho, como também a qualidade de vida de toda a família.