Superação! Jovem vence câncer raro com 20% de chance de sobrevivência e vira médica

Ellie Waters, 19, vive na Inglaterra e foi diagnosticada com rabdomiossarcoma alveolar aos 14 anos de idade, entrando em menopausa precoce, na época

Resumo da Notícia

  • Uma adolescente que venceu um câncer raro conseguiu se recuperar e hoje está estudando medicina
  • Ellie Waters, 19, vive na Inglaterra e foi diagnosticada com rabdomiossarcoma alveolar aos 14 anos de idade
  • A quimioterapia ainda fez com que a jovem tivesse uma menopausa precoce e ficasse infértil

Uma adolescente que venceu um câncer raro conseguiu se recuperar e hoje está estudando medicina para ajudar outros pacientes na mesma situação. Ellie Waters, 19, vive na Inglaterra e foi diagnosticada com rabdomiossarcoma alveolar aos 14 anos de idade, doença com taxa de sobrevivência de 20%.  Na época, a quimioterapia ainda fez com que a jovem tivesse uma menopausa precoce e ficasse infértil, mas isso não foi o suficiente para abalar a vontade de viver.

-Publicidade-
Ellie se curou de um câncer raro e entrou na faculdade de medicina (Foto: Reprodução / Mirror)

Em entrevista ao Metro, Ellie descreve que começou a notar um caroço no pescoço e uma dor persistente na perna, sintomas que a fizeram consultar um especialista. “O processo de diagnóstico da doença foi bastante lento, mas quando descobri que era câncer, fiquei com medo porque sabia o que era câncer e o que o tratamento implicava. Toda a experiência foi mental e fisicamente desgastante e teve um grande impacto na minha família”, conta ela.

A menina teve menopausa precoce aos 14 anos de idade por conta da quimioterapia (Foto: Reprodução / Mirror)

Segundo a mãe, Samantha Waters-Long, de 46, os médicos explicaram que esse tipo de câncer raramente aparece em crianças e adolescentes, sendo que só existiam 60 casos do tipo em todo Reino Unido.“Lembro-me dos médicos me puxando para uma sala e me dizendo que minha filha tinha câncer em estágio quatro; Imediatamente presumi que ela não iria conseguir, porque já estava avançado. Foi nesse ponto que me disseram que ela provavelmente estaria infértil ao final do tratamento, mas a menopausa nunca foi mencionada”, relata.

Adolescente entrou na menopausa aos 14 anos após quimioterapia

A infertilidade foi recebida com tranquilidade por Ellie, afinal, era uma consequência da cura de um câncer raro. Quando conseguiu remover o tumor por completo, em setembro de 2017, a jovem só sabia agradecer. “Tive 20% de chance de sobreviver ao câncer e consegui, então tento ser grata pelo que tenho”, conta ela. Hoje, a adolescente precisa repor alguns hormônios para aliviar os sintomas da menopausa e brinca sobre estar na “mesma fase” que a própria mãe.

Ellie entrou na faculdade de mediciana após vencer câncer raro

Prova viva da importância de um bom tratamento, Ellie foi aceita na faculdade de medicina na Keel University em março de 2020. Foi na convivência com os médicos que Ellie percebeu que queria se tornar um deles e melhorar a vida de outras pessoas. “Ir para a faculdade de medicina nunca tinha passado pela minha cabeça até que eu estava no hospital, mas eu estava maravilhado com meus médicos e sabia que queria ser como eles e ajudar pessoas como eu”, conta.