Família

Tinha que ter um porquê: pessoas esquecidas são mais inteligentes, sim

E chegou uma pesquisa para provar essa tese

Helena Fonseca

Helena Fonseca ,filha de Bethania e Paulo

(Foto: reprodução)

(Foto: Reprodução)

Você é do tipo que não se lembra de nada nunca? Esquecer compromissos, aniversários, consultas, onde largou as chaves e o celular sempre pareceu uma coisa péssima, mas isso está prestes a mudar. De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de Toronto, no Canadá, pessoas esquecidas podem ser consideradas mais inteligentes.

Isso mesmo. Por mais que possa parecer contraditório, o estudo mostrou que o esquecimento pode ser uma peça fundamental para a manutenção da boa memória. Como? Simples: o esquecimento dessas coisas banais do dia a dia permite que o nosso cérebro se concentre realmente em fatos relevantes para a nossa vida.

Basicamente o que acontece com uma pessoa esquecida é uma “faxina”. O cérebro apaga informações menos relevantes e abre espaço para a gente aprender coisas realmente significativas.

De acordo com os pesquisadores canadenses, quando recebemos muitas informações “inúteis”, a tarefa de decidir coisas realmente importantes fica mais difícil. “O objetivo da memória é otimizar a tomada de decisões”, afirma o estudo.

Ou seja, na verdade a melhor coisa para você ter bastante espaço para aprender e armazenar coisas novas e importantes e essa “limpeza” na mente. Por essa ninguém esperava, né?

Leia também

5 passos para estimular a inteligência emocional do seu filho

Atitude da criança é tão importante quanto inteligência

Pais podem estimular a inteligência do bebê no primeiro ano de vida

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não