Varíola dos macacos: OMS fala sobre possibilidade do vírus se instalar em países não endêmicos

Segundo a OMS em uma coletiva de imprensa realizada no dia 8 de junho, o cenário pode ser evitado a partir do momento da identificação dos casos para controlar o surto

Resumo da Notícia

  • A OMS deu uma nota em coletiva de imprensa realizada no dia 8 de junho
  • Foi falado sobre a varíola do macaco e a possibilidade de instalação do vírus em países não endêmicos
  • O cenário pode ser evitado a partir do momento da identificação dos casos para controlar o surto

Na última quarta-feira, 8 de junho, a a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que o risco de que a varíola do macaco possa se estabelecer em países não endêmicos “é real”, depois de terem sido registrados mais de mil casos pelo mundo.

-Publicidade-

O diretor geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus falou em uma coletiva de imprensa que o risco da disseminação da varíola pode ser evitado.

“O risco da varíola do macaco se arraigar nos países não endêmicos é real, mas esse cenário pode ser evitado. Identificar todos os casos e os casos de contato para controlar esse surto e prevenir o contágio”, iniciou Tedros.

Ele também falou sobre o cenário atual conforme OMS: “Foram notificados à OMS mais de mil casos confirmados de varíola do macaco em 29 países em que a doença não é endêmica. Nenhuma morte pela doença foi registrados nesses países”.

Um dos principais sintomas do vírus é a erupção cutânea
Um dos principais sintomas do vírus é a erupção cutânea (Foto: Reprodução/ Domínio público via Wikipedia)

A diretora do departamento de doenças pandêmicas e epidêmicas da OMS disse também que s vacina contra a varíola pode ser usada para a varíola do macaco e pode ter um alto nível de eficácia. Porém, a OMS desconhece quantas doses da vacina estão disponíveis no mundo.

Porém, Tedros falou que a OMS “não recomenda a vacinação em massa contra a varíola do macaco”. Mesmo que perigosa, felizmente a doença não costuma ser fatal.

Varíola dos macacos: quais os sintomas e o que se sabe até o momento sobre a doença

Seja nos jornais ou nas redes sociais, você provavelmente já ouviu alguma coisa sobre a varíola do macaco por aí. A doença tem causado preocupação ao redor do mundo, com o aumento repentino dos casos, e tem causado também muitas dúvidas. Na Europa, já são mais de 50 casos, inclusive em um brasileiro, na Alemanha. A doença também começou a chegar perto de nós aqui do Brasil, com o primeiro caso sendo confirmado na Argentina.

Com essa ‘explosão’ de casos, é natural que comecem a surgir várias dúvidas e preocupações sobre o assunto. Afinal, a varíola já não estava erradicada? É possível que essa doença chegue no Brasil? Estamos frente a uma possível nova pandemia? Conversamos com o Dr. Filipe Prohaska, infectologista da Oncoclínicas, pai de Letícia e Luisa, que esclareceu as principais questões sobre a doença.

Varíola do macaco: quais os sintomas e o que se sabe até o momento sobre a doença

A varíola já não estava erradicada?

A resposta é sim! Isso mesmo, se você ouviu por aí que a varíola já estava erradicada, você não foi alvo de uma fake news. A varíola, aliás, foi uma das primeiras doenças a ser completamente erradicada, há mais de 40 anos, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) certificou seu fim em 1980, após uma bem-sucedida campanha de vacinação global. A doença, no entanto, está voltando a aparecer devido a uma nova variante. Leia aqui a matéria na íntegra.